As exportações do agronegócio paranaense seguem em alta. De janeiro a setembro, o Estado exportou US$ 7,17 bilhões em produtos agropecuários. O valor, de acordo com o Deparatamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab) é 13,9% superior ao mesmo período do ano passado.
O complexo soja (óleo, grão e farelo) lidera mais uma vez o ranking de produtos exportados. De janeiro a setembro desse ano, o Paraná chegou a exportar US$ 3,37 bilhões, alta de 22,1% se comparado ao mesmo período de 2010. Margorete Demarchi, engenheira agrônoma do Deral, aponta que a elevação da arrecadação das exportações paranaenses se deve à retomada de preços das principais commodities agrícolas no mercado mundial.
Os bons preços também trouxeram um saldo positivo para as exportações brasileiras, que atingiram um recorde de US$ 91,902 bilhões nos últimos 12 meses (novembro/2010 a outubro/2011). Uma expansão de 24,4% em relação aos US$ 73,878 bilhões em exportações no mesmo período do ano anterior. As importações cresceram 32,1%, atingindo a cifra recorde de US$ 16,765 bilhões no período de um ano. No total, o superavit da balança comercial do agronegócio brasileiro atingiu US$ 75,136 bilhões no acumulados dos últimos doze meses.
Ainda no cenário nacional, as exportações do agronegócio registraram um crescimento de 22,6% em outubro em relação ao mesmo mês de 2010, passando de US$ 6,99 bilhões para US$ 8,58 bilhões. Com o resultado, o acumulado dos últimos 12 meses, de novembro de 2010 a outubro deste ano, alcançou o recorde de US$ 91,9 bilhões, valor 24,4% superior aos US$ 73,87 bilhões exportados no período anterior.
Na comparação entre outubro do ano passado e de 2011, as importações cresceram 9,4%, subindo de US$ 1,19 bilhão para US$ 1,31 bilhão. Entre os acumulados de 12 meses, as importações passaram de US$ 12,69 bilhões, registrados no período anterior, para US$ 16,76 bilhões, no período atual, com crescimento de 32,1%. Dessa forma, a balança comercial do agronegócio conseguiu superávit de US$ 7,27 bilhões em outubro e de US$ 75,13 bilhões na soma dos 12 meses passados.
As informações, elaboradas pela Secretaria de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura a partir de dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, destacam o complexo sucroalcooleiro como o principal exportador em outubro, com US$ 1,68 bilhão em produtos embarcados, representando 19,5% de todas as exportações do agronegócio.
O estudo informa que o valor subiu apesar da diminuição das quantidades vendidas, devido à valorização dos preços no mercado internacional em aproximadamente 35%. Desse total, US$ 1,48 bilhão vieram das vendas de açúcar e US$ 201 milhões das de etanol. Em seguida, entre os mais vendidos, aparecem os produtos do complexo soja, com US$ 1,39 bilhão; café, com US$ 885 milhões; e fibras e produtos têxteis, com US$ 421 milhões.
Em relação a outubro de 2010, os principais destinos continuam sendo a China, com 14,3% de participação nas compras; os Estados Unidos, 8,4%; os Países Baixos, 6,5%; e o Japão, 4,4%. A Venezuela ultrapassou países como a Alemanha, Bélgica, Itália, o Reino Unido e a Rússia e ficou na quinta colocação, com US$ 312,1 milhões em produtos do agronegócio brasileiro adquiridos em outubro e 3,6% de participação na pauta.(Com Agência Brasil)

Imagem ilustrativa da imagem Preços das commodities motivam exportações