Isabel Versiani
Agência Folha
O ministro Pratini de Moraes, da Agricultura, anunciou ontem medidas para estimular o aumento da produção de milho. A meta do governo, segundo Pratini, é alcançar a marca de 35 milhões de toneladas de produção do grão na safra 2001/2002. Na safra 98/99 foram produzidas 32,4 milhões de toneladas de milho.
Para a safra 99/2000, a expectativa é que esse volume caia um pouco como
consequência da seca que está ocorrendo nos Estados do Sul. O preço do milho tem um impacto direto no preço do frango, produto que
pesa nos índices de inflação.
Pratini informou que o governo irá contratar, a partir da segunda quinzena de maio, 4 milhões de toneladas de milho por meio do EGF - Empréstimo do
Governo Federal - que é garantido, pelo tomador, com o produto agrícola. O valor total das contratações será de R$ 460 milhões. O governo também irá adquirir mais 150 mil toneladas de milho produzidas nas localidades mais remotas da região Centro-Oeste. Nos meses de janeiro e fevereiro, serão lançados, ainda, contratos de opções de venda nos Estados de Tocantins, do Maranhão e das regiões Sul e Centro-Oeste, com vencimentos a partir de abril.
Contratos de opções de venda são papéis por meio dos quais o produtor
negocia o preço pelo qual poderá vender a sua produção, no futuro. A partir de março, serão lançadas opções de venda nos demais Estados produtores, com vencimentos entre junho e dezembro. A expectativa é que, no total, os leilões cubram a venda de 3,3 milhões de toneladas de milho.