Na quarta-feira, produtores rurais do distrito de Guaravera protocolaram uma lista com 133 assinaturas junto à administração municipal, pedindo providências imediatas e emergenciais quanto à situação da estrada que liga o distrito ao município de Tamarana. A estrada, que existe há 52 anos, continua passando por readequações. Segundo o documento, sempre teve condições de tráfego satisfatória, ''guardadas as limitações de uma estrada não pavimentada''.
O texto do documento reclama do trabalho de readequação que está sendo realizado no local nas últimas semanas. ''O leito da estrada, estabilizado através de mais de cinquenta anos de tráfego contínuo e revestido com 'moledo', foi aterrado com material resultante da escavação de profundas valetas de drenagem, executadas nas laterais, nem sempre com o grau de umidade adequado a compactação'', relata o documento. ''Esse fato, aliado à técnica utilizada na própria compactação teve como resultado uma estabilização precária do aterro, tendo como consequência a formação de depressões em vários pontos da estrada, o que dificulta o tráfego.''
O novo leito teria ficado escorregadio quando molhado, e com depressões. A insuficiente largura e existência dos grandes desníveis criados a partir das laterais da pista passou a se constituir, segundo o abaixo-assinado, em ''uma verdadeira armadilha para os usuários, o que pode resultar em graves acidentes, com consequências imprevisíveis''. O tráfego de veículos pesados para o transporte das safras de cereais e de ônibus escolares teria ficado comprometido.
Os produtores também reclamam da eliminação da arborização original que ladeava a pista. Preservadas pelos proprietários há mais de 30 anos, 480 árvores foram 'condenadas' pela administração municipal. Segundo um dos produtores que assinou a reivindicação, e que não quis se identificar, dois caminhões e uma kombi já se acidentaram na pista. ''Em vez que melhorar, piorou'', disse. ''Estamos preocupados, já que a época da colheita do milho e da soja está para começar, e não temos condição para escoar a produção com a estrada do jeito que está.''