SEM INTERESSE Paranaenses ficam fora da feira industrial de Hannover Nenhum expositor do Estado participa da delegação brasileira que embarca no fim de semana para Alemanha Carmem Murara De Curitiba A Feira de Hannover – maior exposição mundial no setor de indústria que será feita entre os dias 20 e 25 deste mês – não conseguiu sensibilizar as empresas paranaenses. Nenhum expositor do Paraná se inscreveu para participar da delegação brasileira que embarca no próximo final de semana para a Alemanha. A comitiva será formada por 60 empresários que têm seus negócios, principalmente, em São Paulo e Rio Grande do Sul. A ausência de empresários locais causa certa frustração nos responsáveis pela Hannover Fairs do Brasil, empresa organizadora da exposição no Brasil. A empresa que recruta os interessados em expor seus produtos em Hannover é paranaense e está há 20 anos na área. ‘‘É o maior absurdo do mundo, mas o Paraná é complicado. Só com muito estímulo para eles participarem. É cabeça dura mesmo’’, critica o organizador da feira, Constantino Baumle. Baumle diz que em 1998 foi o último ano em que houve participação paranaense em Hannover, quando 12 expositores mostraram seus produtos. A maior participação foi em 95, quando os empresários foram pegos a laço pelo governador Jaime Lerner. Naquela situação, o Paraná foi homenageado durante um seminário de cooperação empresarial como um dos destaques da feira. ‘‘O Jaime Lerner levou o pessoal na marra, depois de muita conversa e muita reunião’’, lembra Baumle. Em 95, a delegação paranaense foi formada por 800 empresários e por 40 expositores. No ano seguinte, a situação voltou ao normal, isto é, ‘‘murchou’’. O pouco interesse em se mostrar ao mercado internacional pode ser traduzido nas palavras de um empresário do norte do Estado, que comprou passagens para visitar a feira. ‘‘Quando ofereci para ele expor de graça em Hannover, neste ano, ele me respondeu que não daria, pois seria muita mão-de-obra antecipar a passagem aérea de segunda para sábado’’, contou. A maioria dos 60 expositores, deste ano, é da área metal-mecânica. Para participar da feira, eles gastam em torno de US$ 4,5 mil, despesa que inclui a passagem aérea, acomodação em casa de família e a estrutura no estande para expor, caso estejam ligados ao programa de apoio do Sebrae. Este ano, a participação tem sido considerada fraca em relação a outros anos. A média histórica de presença brasileira em Hannover é de 100 expositores. ‘‘O dólar a R$ 2,00 assustou um pouco o empresariado’’, afirmou o organizador da feira.