O Paraná dá início hoje a segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa. Até o dia 30 deste mês, o Estado espera vacinar 100% de seu rebanho de bovinos e bubalinos, estimado em 9,3 milhões de animais. A campanha foi lançada ontem pelo governador Beto Richa durante solenidade realizada em Umuarama e Paranavaí, na região Noroeste. Nesta etapa devem ser vacinados os animais de todas as idades. A primeira fase da campanha, em maio, imunizou animais com menos de 24 meses e atingiu cobertura de 97,02%.
''Mais do que uma meta, temos a necessidade de vacinar 100%. Um dos motivos é que a imunização do gado adulto já está vencendo e o outro é que precisamos de proteção diante do foco de aftosa no Paraguai'', argumenta o diretor do Departamento de Fiscalização e Defesa Agropecuária (Defis), Marco Antonio Teixeira Pinto. Para isso, a Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab) está mobilizando os Conselhos Municipais de Sanidade Agropecuária e sindicatos para que conscientizem os pecuaristas sobre a importância da vacinação. ''Vamos cumprir nossa parte e vacinar todo o rebanho. Nós somos os maiores interessados em afastar esse risco. Todo o pecuarista é parceiro do Estado no controle da aftosa'', ressalta o presidente da Sociedade Rural do Paraná em exercício, Roberto Barros.
A vacinação é obrigatória e, para os produtores que possuem poucos animais, a orientação é se unir a outros pecuaristas para a compra conjunta da vacina. Os proprietários que não vacinarem seus animais estarão sujeitos a multa de R$ 96,09 por cabeça e serão impedidos de transportar seus animais. Após o período de vacinação e de comprovação das vacinas, fiscais da Secretaria visitarão propriedades que não cumprirem o prazo, vacinando os animais e aplicando as multas. A dose da vacina custa entre R$ 1,50 a R$ 2. Após a vacinação, o produtor deve comprová-la até o dia 30 de novembro em uma unidade veterinária da Seab.
Em todo o País, a segunda etapa de vacinação contra febre aftosa atinge 19 Estados. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) estima que 160 milhões de animais serão imunizados. A meta é proteger todo o rebanho da zona livre de febre aftosa com vacinação (205,6 milhões de cabeças) e superar os 97,4% alcançado em 2010. A meta é transformar todo o território brasileiro imune da doença com vacinação até 2013.
Greve
Mas o início da campanha contra a aftosa ocorre sob a ameaça de greve dos funcionários da defesa sanitária do Estado. O presidente da Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (Afisa-PR), Rudmar Luiz Pereira dos Santos, protocolou, na última sexta, carta de apresentação com as reivindicações da categoria ao secretário estadual de Agricultura, Norberto Ortigara. ''Pedimos a transformação constitucional dos cargos dos servidores do Defis e a transposição dos cargos transferidos para a Adapar'', salienta.
Santos alerta que, caso a Seab não se posicione até amanhã, o grupo dará início a operacionalização da greve e negociará o número mínimo de funcionários que devem continuar trabalhando. Se não houver negociação, a Afisa irá comunicar o movimento de greve com prazo de 48 horas de antecedência.
Diante desse cenário, Teixeira Pinto, diretor do Defis, afirma que a Seab está disposta a negociar. ''A greve, em um momento como esse, é inoportuna. Precisamos nos proteger diante do foco no país vizinho'', critica.®MDNM Ontem, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Paraná aprovou o projeto de lei que institui a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), bem como o projeto que dispõe sobre os cargos e carreiras dos servidores na estrutura organizacional da Agência.

Imagem ilustrativa da imagem Paraná inicia vacinação contra febre aftosa