Brasília - O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, atribuiu a nova elevação da taxa básica de juros pelo Copom e o aumento do compulsório sobre depósito à vista à alta da inflação verificada em janeiro.
''Certamente o Copom, quando toma decisões como esta, leva em consideração elementos que justificam a política monetária mais ajustada. Como a inflação deu sinais de crescimento em janeiro, certamente esta questão esteve no centro da avaliação do Copom'', afirmou.
Palocci disse que a decisão do Copom tem o apoio do governo e tem caráter meramente técnico. O ministro disse não acreditar que a elevação dos juros e do compulsório prejudicarão a atividade econômica no País.
''O importante para o crescimento é um conjunto de medidas que possamos fazer e que estamos fazendo na área monetária e fiscal para que possamos ter uma melhora do quadro econômico do Brasil e a possibilidade de retomada do crescimento.''
Palocci disse que desde o começo do ano o governo tem promovido um esforço fiscal ''ajustado'' e uma política monetária ''atenta'', o que tem surtido efeito sobre o risco-brasil e sobre o fluxo de crédito, principalmente para as exportações.