País vive dia
tenso com rumor
de golpe
Momentos depois de o presidente equatoriano Jamil Mahuad anunciar o plano de dolarização da economia, as duas principais cidades do país – Quito e Guayaquil – amanheceram paralisadas e sob tensão ontem. Rumores de golpe por parte de militares, de renúncia de todo o governo e até de um ‘‘autogolpe’’, desfechado por Mahuad, vinham circulando no país durante toda a semana.
Desde quinta-feira, por decreto presidencial, vigora no país um Estado de emergência. Às 22h30 do domingo (0h30 de segunda em Brasília), Mahuad foi à tevê para anunciar, em 20 minutos de pronunciamento, soluções radicais para a crise.