BNDES na construção
Descobrindo a América. Há dois setores capazes de dar retorno imediato aos investimentos que recebe. Principalmente retorno social, como geração de empregos. São a agricultura, na verdade todo a cadeia produtiva, pois inclui as agroindústrias, e a construção civil. O governo está descobrindo isto. E deve estimular esses setores.
Com relação à agricultura - melhor seria, chamar de agronegócio como um todo - vem aí um pacote de medidas. Até agora uma incógnita, pois tudo o que se noticiou foram especulações. Algumas até que se confirmam. Na véspera da data marcada para o anúncio, dia 19, pouco se sabe.
Mas é bom ter claro que não se pode confiar nos anúncios feitos para agricultura. O governo costuma executar menos de 20% do que promete.
Agora, com relação ou outro setor dinâmico, a construção civil, a bola está com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), que está anunciando investimentos no setor.
O ministro do Desenvolvimento, Alcides Tápias prometeu isto em São Paulo, ontem. Tápias disse que aguarda um projeto que está sendo preparado por empresários do setor. Se conseguirem convencer os técnicos do governo aí será meio caminho andado no sentido da participação do BNDES no financiamento da construção civil.
A construção civil é responsável por 14,8% do Produto Interno PIB e emprega 13,5 milhões de trabalhadores. Além disso, a cada emprego criado na indústria da construção civil, outros três indiretos são criados nas demais áreas da atividade econômica.
Na construção civil cria-se um emprego para cada R$ 13 mil investidos. Ao passo que nos setores mais tecnificados - como as montadoras de carro -a relação investimento emprego é de R$ 100 mil. Esses dados foram apresentados ontem ao ministro do Desenvolvimento.
Detalhe: para um país que está sem emprego e a baixa produção está no fundo do poço, outro dado interessante, embora não seja novidade: a mão-de-obra absorvida pela construção civil é não especializada, o que significa que os recursos aplicados na atividade têm retorno rápido do ponto de vista social.



LEITURA DINÂMICA
-
Na agricultura a função social tem a mesma característica e o retorno é mais rápido. Quando o produtor pega o dinheiro e compra a semente já está gerando emprego.
-Mas os dois setores são fantásticos. Se o financiamento à produção agrícola ainda traz a abundância de comida, a construção civil oferece habitação. O déficit de casa é tão flagrante quanto a escassez de cardápio.
Quem sabe o governo descobriu, finalmente, qual é o rumo. Quem sabe a construção tenha algo de concreto e a produção de alimentos, algo da palpável, sem a enganação que foi até agora.

DROPS
Feriado Você viu na coluna de mercado: ontem, devido ao feriado nos EUA, o mercado paranaense de café ficou sem referencial. O paulista se orientou nas cotações da BM&F: R$ 227,33/sc, com queda de 2,15% no dia.
Milho O USDA diminuiu a previsão da safra americana de milho para 239,7 milhões de t ( 242,5 milhões no mês passado). Para os demais itens, o USDA manteve os dados de dezembro.
Preço Os preços pagos aos produtores caíram em média 0,09% na segunda quadrissemana deste mês, contra a alta de 0,69% na anterior. Fonte: pesquisa do IEA em São Paulo, Triângulo Mineiro, Norte do Paraná e Goiás.
Aves De 19 produtos pesquisados, 13 tiveram alta de preço, 5 tiveram queda e 1 permaneceu estável. A maior queda na segunda quadrissemana deste mês foi a das aves (-32,5%).