Gelson Luís Corazza
De Francisco Beltrão
Especial para a Folha
A Organização Não-Governamental África 70, sediada no Norte da Itália, pretende manter relações de parceria e investir em projetos que beneficiam os agricultores da região Sudoeste.
O contato com a organização foi iniciado no ano passado e, na última semana, o presidente da Associação dos Municípios do Sudoeste (Amsop), prefeito de Barracão Joarez Henrichs, esteve na Itália acertando detalhes da parceria.
Já está definido que uma missão da entidade estará na região no mês de abril. O primeiro projeto financiado pela Ong beneficia as comunidades indígenas de Coronel Vivida e Mangueirinha.
Mas na sequência, todos os municípios do Sudoeste que tiverem bons projetos que agreguem valores ao meio rural, terão apoio da entidade.
Segundo Henrichs, a África 70 escolheu o Sudoeste porque sua população é na sua maioria descendente de italianos. Outro fator é a predominância, na região de mini e pequenos agricultores.
Os recursos que a Ong investirá no Sudoeste serão a fundo perdido e servirão para treinamento de técnicos, de agricultores e para dar suporte à comercialização de produtos industrializados no meio rural.
Para facilitar a liberação de recursos e operacionalizar a parceria, a Amsop deve criar uma agência regional de fomento e também uma organização não-governamental.
Embora os valores de investimentos ainda não estejam completamente definidos, a Ong italiana estaria disposta a aplicar R$ 1,5 milhão, ao mesmo tempo em que busca outro financiamento via Comunidade Econômica Européia, na ordem de cinco milhões de dólares. ‘‘Acreditamos muito na viabilização desta parceria e nos benefícios que ela trará ao Sudoeste do Paranᒒ, afirma o presidente da Amsop.