Os funcionários da Audi/Volkswagen, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, decidiram em assembléia paralisar a fábrica a partir de hoje. A ameaça de greve é decorrência do impasse nas negociações salariais, com data-base em setembro.
A montadora ofereceu reajuste salarial de 6,96% (inflação acumulada), piso de R$ 600 e redução de 44 horas para 43 horas semanais a partir do ano que vem. O Sindicato dos Metalúrgicos da Região Metropolitana de Curitiba, ligado à Força Sindical, defende R$ 800 de piso e jornada de 40 horas semanais já neste ano.
De acordo com a assessoria de imprensa da fábrica, a proposta não será modificada. A empresa espera que os funcionários voltem atrás e pretende recorrer a julgamento, caso eles paralisem as atividades. Os cerca de 3.500 metalúrgicos da unidade de São José dos Pinhais produzem 500 veículos por dia, dos modelos Audi A-3 e Golf. A maior parte da produção é exportada para os EUA, Canadá e México.