ALGODÃO
Preços para o algodão em caroço, têm base no preço estipulado pela indústria paulista: R$ 9,00/9,20/arroba do tipo 6 no Vale do Ivai; R$ 8,00,8,50 nas demais regiões. Preço inalterado em relação à semana passada.
ARROZ
Tentando manter sua hegemonia como fornecedor de arroz, os gaúchos aumentam a oferta e adiam ao máximo qualquer aumento de preços. O grande celeiro de arroz é o cerrado goiano que produz o arroz sequeiro com a mesma qualidade. Posto em Apucarana, produto vindo do RS está ente R$ 23,00 e 24,00/saca de 60 kg em casca. (Sai de Uruguaiana por R$ 14,50/fardo de 50 kg).
CAFÉ
Semana começa sem referencial de preço. Bolsa de NY não funcionou ontem (feriado nos EUA) e o mercado interno manteve preços de sexta-feira. R$ 210,00 para cafés finos, tipo 6. Para cafés sem descrição de bebidas, R$ 175,00.
FEIJÃO
Semana começa com preço estável depois de ceder todos os dias na semana passada. A Conab deve entrar no mercado comprando 50 mil toneladas para enxugar as ofertas e sustentar preços. Isto deve ocorrer ainda esta semana.
MILHO
O quadro é o mesmo de sexta-feira: sem oferta o preço se mantém nos níveis da semana passada (ver quadros do Deral e Bolsas). Fala-se na importação de milho dos Estados Unidos, mas o presidente do Sindicato Rural de Londrina, Edison Mazei Ponti, alertou ontem, através da rádio CBN, que a qualidade do importado não é boa igual ao nosso milho. Portanto, mercado comprador, preço em alta.
SOJA
Bolsa de Chicago sem expediente, mercado sem referencial ontem. Previsão do USDA reduzindo safra norte-americana deve manter o mercado firme por mais alguns dias. Preço em lote inexistente: as indústrias já estão em recesso. Preço ao produtor no Noroeste, Oeste e Norte, R$ 18,20 a R$ 18,30.
BOI MAGRO
A semana começa com alta nos preços do gado de reposição: boi magro, de 2 anos, R$ 400,00/420,00. Bezerros de 8 a 10 meses, R$ 280,00/300,00; se for de cruzamento industrial, R$ 350,00. Bezerro entre 10 e 12 meses, R$ 320,00/330,00. Arroba do boi mantém nos RA 40,00, para 30 dias. Fonte Deosdete F. de Cerqueira, presidente da Sociedade Rural do Noroeste.
FRANGO
Mercado estável. O preço do frango inteiro, limpo, resfriado variou entre R$ 1,50/kg e R$ 1,55/kg. Quadro é o mesmo que iniciou a semana: demanda e preço devem se manter neste patamar pelo menos até o fim do mês de janeiro.