O Sindicato do Comércio Varejista de Maringá (Sivamar) espera uma liminar da Justiça para embargar a Feira de Verão Moda 2000 caso haja comercialização de produtos. O evento começou ontem no Parque de Exposições e segue até o próximo dia 15. A Prefeitura de Maringá alega que concedeu alvará de licença apenas para exposição e não para o comércio. O Sivamar se baseia ainda em um decreto municipal que não permite a realização de feiras próximas de datas comemorativas, como é o caso do Dia das Crianças, para não prejudicar o comércio local.
Representantes da Milliati, organizadora do evento, contestam e afirmam que a prefeitura foi negligente no pedido de documentos e que o decreto se limita a realização de feiras tipo ponta de estoque e não de lançamentos como é o caso da Moda 2000.
Segundo a assessoria jurídica do Sivamar, a Justiça se pronunciou a favor da medida cautelar impetrada pela entidade e avisou que pode embargar a feira caso haja comercialização. Fiscais da prefeitura pretendem multar as lojas que participam da feira e insistem na venda a varejo.
Para Sônia Solange Soler, da Milliati, nada pode impedir a participação de lojistas na feira. ‘‘Estamos fazendo uma feira de lançamentos’’, ressaltou. Segundo ela, a empresa entrou com requerimentos na prefeitura há 65 dias e só há 15 dias teria sido exigido o pedido de alvará individual para cada expositor. ‘‘A prefeitura foi negligente e agora quer nos prejudicar.’’
Participam da feira 78 lojas de confecções, calçados, bolsas e bijuterias, a maioria de Maringá, e uma fábrica de móveis.