A empresa paranaense Inepar Indústria e Construção se associou ontem à italiana Enelpower para uma direção compartilhada de uma das empresas do grupo, a Inepar Energia. Até ontem, a Inepar Indústria e Construção detinha 60% das ações da Inepar Energia. Com a injeção de R$ 154 milhões, a Enelpower passa a ter 30% das ações e a Inepar outros 30%. O objetivo da associação é dar condições para que a Inepar amplie os investimentos em projetos de geração e transmissão de energia no País.
‘‘Esse setor requer investimentos pesados e uma empresa brasileira tem dificuldades de conseguir o volume de recursos necessários sem se associar’’, explicou Atilano Oms Sobrinho, presidente do Conselho de Administração da Inepar Indústria e Construção.
A Inepar possui dois grandes projetos em andamento, que serão beneficiados pela nova sociedade. A empresa vai operar a linha de transmissão Sudeste/Nordeste, que tem mil quilômetros de extensão, e custará R$ 600 milhões. Essa linha terá que estar em operação no prazo de 30 meses.
O outro projeto, que encontra-se em fase de aprovação técnica, é a construção de uma usina termelétrica no porto de Sepetiba, Rio de Janeiro. A usina terá capacidade para geração de 1.300 megawats. Essa é aproximadamente a mesma capacidade que a usina nuclear Angra II. O combustível da termelétrica será carvão mineral importado. O custo total desse empreendimento será de U$ 1 bilhão. O prazo máximo estabelecido pela empresa para conclusão das obras é de 4 anos.
Ainda está em fase inicial de estudos, mas a Inepar e a Enel pretendem instalar uma termelétrica a gás natural no município de Londrina. A usina teria capacidade para geração de 500 megawats. ‘‘Estamos analisando para saber se o gasoduto Brasil-Bolívia conseguirá chegar até Londrina sem problemas’’, explicou o presidente da Inepar Elétrica, Rodolfo Andriani.
Assinaram o termo de associação, pela Inepar, o presidente do conselho de administração da Inepar Indústria e Construção, Atilano Sobrinho; Cesar Siedler, presidente da Inepar Indústria e Construção e Rodolfo Andriani, presidente da Inepar Energia. Pela Enelpower, participou da assinatura o presidente da multinacional, Luigi Giuffrida. O presidente da empresa italiana disse que a estratégia da Enel é iniciar investimentos de grande porte na América Latina. ‘‘O ponto inicial para isso é o Brasil e o Paraná, através da sociedade com a Inepar’’, disse.
Para Atilano Sobrinho essa associação traz ao Paraná uma grande empresa multinacional. ‘‘A partir de agora teremos um parceiro global’’. A Enelpower é subsidiária da Enel, terceira maior empresa da área de energia do mundo. Na Itália, o grupo Enel atende a cerca de trinta milhões de usuários. A Inepar Energia foi criada em 1997 e até ontem vinha sendo controlada apenas pelas Inepar Indústria e Construção.
A assinatura do termo de associação foi realizada no gabinete do governador Jaime Lerner, no Palácio Iguaçu.