A cada data comemorativa os brasileiros são alertados para a alta carga tributária incidente sobre produtos típicos. No caso das tradicionais festas juninas, não é diferente. Pular a fogueira pode sair caro e adoçar a festança também, já que sobre o amendoim, a cocada, a paçoca e o pé de moleque pesam nada menos que 36,54% de tributos. A carga fica ainda mais pesada quando se trata de bebidas tradicionais, como o quentão (61,56%) e o vinho (54,73%).
Segundo o levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), em outros quitutes o peso dos impostos varia de 18,75% para o milho cozido até 24,07% para o pinhão, 35,38% para a canjica e 36,54% para a pipoca. O presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike, explica que a alta incidência de tributos deve-se ao fato de serem produtos supérfluos.
"É o caso dos fogos de artifício, no qual 61,56% do valor do produto é destinado aos cofres públicos", exemplifica Olenike. Na opinião dele, o baixo retorno dos valores pagos piora a situação do contribuinte. "Além de consumir menos nesta época do ano, já que o Leão abocanha uma grande parte do valor dos produtos, o contribuinte brasileiro não recebe um retorno digno dos valores que paga em serviços públicos de qualidade", defende.
Outras bebidas consumidas durante as festas juninas também oneram o bolso dos consumidores, como a cerveja, que tem 55,60% de tributos e a lata de refrigerante, sobre a qual pesa 44,55% de impostos. Quem quiser se vestir a caráter para a tradicional quadrilha junina também pagará parte do valor da roupa ao Leão, sendo 38,53% da calça jeans, 34,67% da camisa xadrez e 33,95% do chapéu de palha.

PESO
Débora Endo, funcionária de uma loja de artigos para festas em Londrina, considera difícil para os vendedores explicarem o peso dos tributos no valor final da mercadoria, especialmente o aumento da carga sentido pelo setor desde a implantação da substituição tributária no Estado. Segundo Débora, as vendas este ano estão aquém do esperado em virtude, ela acredita, da Copa do Mundo. "Estão saindo mais os doces, chapéus de palha, mas não está vendendo como nos anos anteriores", afirma.
No valor final dos produtos juninos podem incidir até nove tributos, como Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Imposto Sobre Serviços (ISS), Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), impostos sobre a renda ou lucro (Contribuição Social e Imposto de Renda), além das contribuições previdenciárias, como Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e Fundo de Garantia (FGTS).

Imagem ilustrativa da imagem Impostos encarecem festa junina dos brasileiros