Curitiba - O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) fechou o mês de julho com deflação de 0,61%. Em junho, o índice já tinha apresentado variação negativa de 0,74%. Os dados foram divulgados ontem pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O índice é utilizado, principalmente, para reajustar os contratos de aluguéis de imóveis. Isso significa que, na prática, o aluguel tende a ficar mais barato. A variação acumulada do IGP-M no ano até julho é de 1,83% e, em 12 meses, de 5,32%.
Para o coordenador do curso de Ciências Econômicas da PUC-PR, Carlos Magno Bittencourt, a deflação no IGP-M é reflexo da queda de demanda na construção civil. Um dos componentes do IGP-M é o Índice Nacional da Construção Civil (INCC-M), que registrou queda na evolução, o que também explica a redução de 0,61% apresentada em julho. Também fazem parte do IGP-M o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA). Para Bittencourt, os empresários da área do comércio também estão comprando menos produtos da indústria em função do cenário econômico. Este fator também teria contribuído para derrubar o IGP-M.
Bittencourt prevê que continue a desaceleração no IGP-M porque "a economia brasileira está parada’’. Ele lembrou ainda que os índices de confiança do consumidor e dos empresários está caindo. No entanto, alertou que a deflação faz bem para o bolso do consumidor até três meses consecutivos, depois disso, já começa a apontar uma recessão.
De acordo com levantamento realizado pelo Sindicato da Habitação e Condomínios do Paraná (Secovi-PR), a variação dos preços médios dos aluguéis ofertados em Londrina em junho foi de +0,44% e, nos últimos 12 meses terminados em junho, a variação foi de 4,99%. Em Curitiba, a variação dos preços médios dos aluguéis foi de 0,39% em junho e de 3,33% nos 12 meses encerrados em junho. As variações dos 12 meses para as duas cidades, inclusive, ficam abaixo do índice oficial de inflação do governo, o IPCA, que está muito próximo do teto da meta do ano de 6,5%.
Segundo a vice-presidente de locação do Secovi-PR, Fátima Galvão, a redução nos preços dos aluguéis vem ocorrendo em função do excesso de oferta de imóveis tanto novos como usados. Ela acredita que a variação de preços médios dos aluguéis deve continuar caindo, ao menos, até as eleições.

Indicadores
Entre os três indicadores que compõem o IGP-M, o IPA-M saiu de queda de 1,44% em junho para -1,11% em julho. Na mesma base de comparação, o IPC-M desacelerou de alta de 0,34% para 0,15%. O INCC-M também reduziu o ritmo de alta de 1,25% para elevação de 0,80%. De acordo com informações da FGV, o IGP-M leva em conta preços dos produtos agropecuários no atacado que caíram 2,66% em julho, após registrarem queda de 3,73% em junho. Já os preços de produtos industriais recuaram 0,53% contra declínio de 0,55% no mês anterior.
Os preços dos bens intermediários recuaram 0,26% em julho ante variação negativa de 0,34% em junho, enquanto a variação dos bens finais foi negativa em 0,71%, após retração de 1,53% no mês anterior. Os preços das matérias-primas brutas recuaram 2,60% contra queda de 2,63% na mesma base de comparação. (Com agências)

Imagem ilustrativa da imagem IGP-M de julho tem desaceleração de 0,61%