Das Agências
De São Paulo
O ICV (Índice de Custo de Vida) registrou alta de 1,19% em janeiro no município de São Paulo. O indicador foi divulgado ontem pelo Dieese. O principal fator de pressão do índice foi a alta do grupo educação e leitura (6,37%). As mensalidades escolares aumentaram 8,24% e contribuíram com 0,42 ponto percentual no índice relativo ao mês passado. Em dezembro, o ICV tinha registrado alta de 0,8%. Outras altas registradas foram: saúde (1,1%); habitação (0,97%); alimentação (0,88%); transportes (0,51%);equipamentos domésticos (0,33%); vestuário (0,27%) e despesas pessoais (0,09%). Nenhum grupo registrou queda nos preços em janeiro.
O ICV acumula alta de 9,36% no município de São Paulo nos últimos 12 meses terminados em janeiro. Cinco grupos de produtos e serviços tiveram aumentos superiores à meta acertada pelo governo com o FMI para os 12 meses terminados em março, de 7,5%. São eles: transportes (19,61%); saúde (13,67%); habitação (7,98%); equipamentos domésticos (7,93%) e educação e leitura (7,9%). O único grupo com deflação foi o de vestuário (-0,51%). Em 1999, o ICV registrou alta em 9,57%.
Segundo a supervisora do Dieese, a inflação vai ficar dentro da meta acertada pelo governo brasileiro com o FMI se não houver reaquecimento da economia neste ano. Segundo ela, a inflação pode superar os 6%.
IGP-MA inflação de 21 a 31 de janeiro foi de 0,21%, segundo a primeira prévia do Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM) deste mês. O resultado foi beneficiado pela queda dos preços dos produtos agrícolas e industriais e das liquidações de roupas. Mas o índice foi pressionado pelos preços das mensalidades escolares e medicamentos.