Ibovespa alterna sinais com mercado cauteloso com exterior


Agência Estado
Agência Estado

Os ativos domésticos enfrentaram instabilidade nos negócios da última hora, com alternância de tendências nos mercados de câmbio e ações. O Índice Bovespa abriu em alta, mas perdeu fôlego e vem oscilando próximo da estabilidade, com trocas de sinais o todo tempo.

Segundo operadores, a cautela dos investidores com as incertezas no cenário internacional prevalece nos negócios e acaba por ser reforçada pela proximidade do feriado de Proclamação da República no Brasil, amanhã. Com receio dos efeitos negativos da guerra comercial travada entre Estados Unidos e China, o investidor estrangeiro busca a segurança do dólar e dos títulos do Tesouro dos EUA. Hoje a China voltou a pressionar os Estados Unidos a remover tarifas punitivas como parte de um acordo comercial provisório. Um corte nas tarifas é uma "importante condição" para um acordo preliminar, afirmou o porta-voz do Ministério de Comércio chinês, Gao Feng.



Às 11h00, o Ibovespa tinha alta de 0,17%, aos 106.242,57 pontos. Na mínima, minutos antes, o índice havia chegado a tocar os 105.820 pontos, com baixa de 0,23%. Entre as principais ações do Ibovespa, destaque para Petrobrás PN (+0,33%) e Itaú Unibanco PN (-0,17%).

Há pouco, o Departamento do Trabalho americano anunciou que o índice de preços ao produtor (PPI) dos Estados Unidos subiu 0,4% em outubro ante setembro, segundo dados com ajustes sazonais. O resultado surpreendeu analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam alta mensal de 0,3% do PPI. Já o núcleo do PPI, que exclui os voláteis preços de alimentos e energia, avançou 0,3% no mesmo período. Neste caso, a projeção do mercado era de acréscimo de 0,2%. Dados mais fortes da economia americana, embora apontem para melhor perspectiva para empresas com ações em bolsa, alimentam especulações de interrupção na política de afrouxamento monetário.

Por outro lado, o número de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos subiu 14 mil na semana passada, para 225 mil. A alta é a maior em quatro meses e superou a projeção de analistas consultados pelo Wall Street Journal, de 215 mil.


Continue lendo


Últimas notícias