O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) de Chapecó (SC) deflagrou na manhã desta terça-feira (19) duas operações simultâneas para combater crimes contra a saúde pública e garantir direitos dos consumidores.

As investigações iniciaram há cerca de cinco meses e estão focadas em empresas de laticínios, unidades resfriadoras e transportadoras de leite, cujos empresários e funcionários supostamente estão falsificando e adulterando o leite destinado a consumo humano, tornando-o nocivo à saúde ou reduzindo o valor nutricional.

As operações recebem os nomes de "Leite Adulterado I" e "Leite Adulterado II", em face de empresas localizadas nos municípios de Lageado Grande, Ponte Serrada e Mondaí, todos em Santa Catarina, e Vista Alegre, no Rio Grande do Sul. Foram mobilizados, para atuar nas operações, cerca de 60 agentes dos GAECOs, inclusive Promotores de Justiça e policiais do vizinho Estado do Rio Grande do Sul, além do Instituto Geral de Perícias e de 12 fiscais do MAPA/SIF.

Imagem ilustrativa da imagem Gaeco deflagra duas operações contra fraude do leite; 20 são presos
| Foto: MP/SC



Foram cumpridos 20 mandados de prisões e 11 mandados de buscas e apreensões, autorizados por ordens judiciais dos Juízes de Direito das comarcas de Xaxim e Mondaí, ambas em Santa Catarina. Foram presos 14 homens e seis mulheres e cumpridos 11 mandados de busca e apreensão nas unidades industriais, residências e propriedades rurais de sete cidades do Oeste e Extremo-Oeste de Santa Catarina e Noroeste gaúcho.

O Ministério Público informou que mais detalhes dos fatos e das circunstâncias envolvendo a operação serão oportunamente revelados para não prejudicar as diligências em andamento.