As exportações das cooperativas paranaenses totalizaram US$ 1,937 bilhão no acumulado dos dez primeiros meses do ano. O volume representa um acréscimo de 34% em relação ao US$ 1,446 bilhão comercializado de janeiro a outubro de 2010. Com isso, o Paraná desponta como líder entre os estados exportadores, sendo responsável por 38% das exportações cooperativistas brasileiras. Em todo o País, o setor movimentou US$ 5,141 bilhões no período, maior volume desde 2005.
''A previsão para 2011 era de atingirmos US$ 2 bilhões, mas com os números obtidos até o momento, as cooperativas do Paraná irão, com certeza, ultrapassar essa expectativa'', avalia o analista técnico da Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), Gilson Martins. Segundo ele, o bom resultado da última safra agrícola e o mercado internacional com preços favoráveis garantiram o resultado positivo do setor. ''A queda dos preços da soja registrada nos últimos dois meses na Bolsa de Chicago foi compensada pela desvalorização do Real, o que manteve os preços em um patamar estável'', analisa.
Martins explica que esse valor é calculado de acordo com os domicílios fiscais de cada cooperativa e tem como base informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. ''A participação das cooperativas nas exportações do Paraná se mantém no patamar de 13% nos primeiros dez meses do ano'', revela.
No Paraná, o produto de maior destaque para as cooperativas continua sendo a soja em grão, responsável por 28% do total das exportações no período. Na sequência, estão o farelo de soja, com participação de 19,6% no total; frango, com 16%; açúcar, com 10,5%; e trigo, que representa 5,5% das exportações das cooperativas estaduais.
A China se mantém como principal mercado consumidor do setor cooperativista paranaense, representando 24,6% de todas as aquisições internacionais. Em seguida, outros mercados de destaque são Alemanha, responsável por 12,9% do total; Holanda, por 9,1%; Japão, por 7,1%; e França, que compra 3,5% do total comercializado pelo setor. ''As aquisições chinesas se concentram em soja e óleo de soja. Já na Europa, o perfil consumidor predominante é do farelo de soja'', relata Martins.
Importações
Em relação às importações, o Paraná foi o estado com maior valor por meio das cooperativas entre janeiro e outubro de 2011, com US$ 115,4 milhões. Dessa forma, as aquisições representaram 40,6% do total do setor no País. ''As importações do agronegócio têm peso grande na balança comercial do Paraná devido à compra de insumos'', afirma Martins. Além disso, ele aponta o Porto de Paranguá como local de destaque para a entrada de insumos no País. O analista lembra que um dos principais produtos importados pelo Estado é a cevada, que serve de matéria-prima para a indústria de malte paranaense.

Imagem ilustrativa da imagem Exportações das cooperativas crescem 34% no PR