Eduardo Magossi
Agência Estado
As exportações de carne suína brasileira em 1999 somaram 81.842 toneladas segundo o diretor da Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Carne Suína (Abipecs), Cláudio Martins. O volume exportado é recorde e 0,34% superior às 81.565 toneladas embarcadas em todo o ano de 1998.
Porém, em volume financeiro, o resultado das exportações não foi positivo como o do embarque físico. A receita cambial com as vendas externas de suínos atingiu, em 1999, US$ 118,4 milhões, queda de 22,96% em relação aos US$ 153,8 milhões registrados no ano anterior. Segundo Martins, a queda na receita foi consequência do recuo do preço médio da tonelada de carne durante 1999. No período, o preço médio da tonelada recuou 23%, de US$ 1886 para US$ 1448.
Os principais mercados importadores de carne suína brasileira foram, em 1999, Hong Kong, Argentina e Uruguai. Segundo Cláudio Martins, diretor da Abipecs, as importações de Hong Kong e da Argentina correspondem a 85% do total exportado pelo Brasil. Em 1999, contudo, as crises econômicas verificadas nos mercados asiáticos e no Mercosul provocaram a queda nas vendas para a Argentina e para Hong Kong. O crescimento das exportações brasileiras de carne suína deveu-se, em 1999, ao aumento das importações do Uruguai e de outros mercados. As importações da Argentina somaram 32,7 milhões de toneladas, queda de 7,19% em relação às compras de 35,24 milhões de t verificadas em 1998.
A receita cambial decorrente das vendas para a Argentina caiu 24,18% no período, de US$ 66,79 milhões em 1998 para US$ 50 6 milhões em 1999. As importações de carne suína de Hong Kong atingiram 36,67 milhões de toneladas em 1999, queda de 3,07% em relação às 37,83 milhões de toneladas verificadas no ano anterior. A receita cambial caiu 28,88%, de Us$ 68,83 milhões para US$ 48,9 milhões.