São Paulo - A AOL Time Warner inflou sua receita utilizando práticas contábeis ''pouco convencionais'', segundo reportagem publicada pelo jornal ''The Washington Post''. A crise na gigante de mídia, que já estava sob suspeita, agravou-se ainda mais com a notícia de que seu principal executivo deixará o cargo. As supostas fraudes, no valor de US$ 270,1 milhões, teriam começado em 2000, antes da aquisição da Time Warner, continuaram a ser praticadas até este ano.
As ações da companhia foram as mais negociadas ontem na Bolsa de Nova York e encerraram o dia em queda de 5%. O novo escândalo contábil e os resultados modestos divulgados por algumas empresas derrubaram as Bolsas dos EUA mais uma vez. ''Faz dois anos que o mercado acionário não rende nada. Há um ajuste no fundos de investimentos, e as pessoas estão procurando outras aplicações'', disse Bill Meade, da RBC Capital Markets.
O Dow Jones caiu 1,56%, para 8.409 pontos - o menor nível desde a reabertura dos mercados após os ataques de 11 de setembro. A Nasdaq, Bolsa que concentra ações de empresas de alta tecnologia, caiu 2,88%. O Standard & Poor's 500, índice que engloba as 500 maiores empresas do país, perdeu 2,7% e foi ao menor patamar desde junho de 1997.
A AOL Time Warner, maior companhia de mídia do planeta, tem um grande peso na Bolsa de Nova York.