Entrada da safra derruba o preço do milho no PR Vânia Casado De Curitiba A intensificação da colheita do milho está derrubando o preço do grão no Paraná. Desde o início de fevereiro, a cotação já caiu 7% nos preços recebidos pelos produtores. De acordo com levantamento feito pelo Departamento de Economia Rural, da Secretaria da Agricultura (Deral), na média do Estado, os produtores estavam recebendo R$ 11,63 por saca e ontem o milho foi comercializado a R$ 10,80 a saca. No Norte do Paraná, onde a oferta é menor, os preços estão se sustentando entre R$ 11,00 e R$ 11,20, ao contrário de outras regiões do Estado, onde a colheita está mais intensa. No atacado, a redução atinge 13%, sendo que o milho que era comercializado a R$ 13,99 a saca, caiu para R$ 12,12. A colheita já atinge 28% das lavouras do Estado, que correspondem a 431.963 hectares. Segundo a engenheira agrônoma Rossana Catie Bueno de Godoy, o clima está favorecendo a intensificação da colheita, mas os produtores estão mais cautelosos na venda do produto. Eles preferem guardar parte da produção porque sabem que se colocar tudo à venda agora, derrubam os preços de uma vez, disse a técnica. ‘‘Além disso, os produtores estão apostando na comercialização do segundo semestre porque sabem que os estoques do país estão baixos’’, acrescenta. Apesar do entusiasmo dos produtores de milho, Catie não acredita que os preços vão reagir aos níveis que eram praticados em novembro do ano passado, quando a saca de milho chegou a ser vendida por R$ 13,00. Isso porque, apesar da escassez da safra nacional frente ao consumo, pesa a ameaça da importação do milho argentino, se o preço no mercado interno evoluir muito. Ela lembra que a Argentina tem um excedente exportável de 8 milhões de toneladas e, desse total, cerca de 2 milhões de toneladas podem ser destinados ao Brasil.