Empresa desenvolve produtos inéditos em parceria com multinacionais


Mie Francine ChibaReportagem Local
Mie Francine ChibaReportagem Local
Indústria de tintas de Londrina criou dois produtos inovadores em parceria com empresas europeia e norte-americana
Indústria de tintas de Londrina criou dois produtos inovadores em parceria com empresas europeia e norte-americana | Ricardo Chicarelli


Todos os anos, uma indústria londrinense de tintas realiza encontros com fornecedores e clientes para a geração de produtos inovadores. Desses encontros, resultaram dois produtos considerados inéditos no mercado: uma tinta branca para o telhado e um pigmento em pó com nanopartículas concentradas. O primeiro produto foi desenvolvido em parceria com uma empresa norte-americana e o segundo com uma empresa europeia.

A tinta branca para telhado faz a refletância dos raios solares e é capaz de diminuir a temperatura interna de edificações – especialmente barracões industriais - em até 7º. O pigmento foi desenvolvido com nanotecnologia para obter um pó com dispersão e pigmentação maiores. Além disso, reduz o investimento do lojista, já que dispensa a necessidade de uma máquina dosadora e de um batedor para a dosagem e a mistura do pigmento na tinta base, que custam em torno de R$ 28 mil. O pó vem em sachês já na medida certa e a mistura pode ser feita até mesmo manualmente.





Para Marco Antônio Silva, diretor financeiro da Hydronorth, o que permitiu que a empresa, prestes a completar 37 anos, tivesse um processo estabelecido de inovação foi o investimento, o desenvolvimento dos funcionários, o engajamento deles e o envolvimento de toda a organização, inclusive da alta gestão, nesse trabalho. "Acredito que estes sejam alicerces para um processo de inovação. Demora anos uma mudança cultural." A companhia também usa um software de gestão de inovação e encoraja colaboradores de todos os setores a lançarem suas ideias de inovação em produtos ou processos no software. Cada funcionário tem um login no sistema e as ideias aprovadas são aquelas que geram valor, de alguma maneira, para a empresa.

Londrina polo

Marco Antônio Silva, diretor financeiro da Hydronorth, empresa de tintas de Londrina, diz não ver a região de Londrina como um grande polo. A maior parte de seus clientes estão na Região Sudeste. É lá também que se encontram seus principais fornecedores, sem contar China e Ponta Grossa. Mas a empresa se estabeleceu aqui devido às suas raízes e da relação dos fundadores com a região. "Não somos uma região rica em recursos. Não vejo Londrina como uma região rica em matéria-prima, mas que já tem um número grande de empresas. Ela pode se tornar polo, falta as empresas, de forma organizada, planejarem melhor o setor junto com uma unidade de classe, sindicatos, associações."(M.F.C.)


Continue lendo


Últimas notícias