Com o objetivo de ingressar no mercado de nutrição de plantas, por meio de aplicação foliar, método que já vem sendo adotado no Paraná, a Syngenta acaba de colocar no mercado o Quantis. O produto, que visa fortalecer plantas de soja e feijão por meio da inserção de macro e micro-nutrientes e aminoácidos, promete elevar a produtividade das lavouras de soja, por exemplo, em até três sacas por hectare.
O Quantis tem aplicação foliar e atua na absorção de nutrientes durante o florescimento das plantas. Tendo a levedura de cana-de-açúcar como matéria-prima, o produto facilita o processo de fixação de nutrientes pela planta, o que a faz gastar menos energia. ''O Quantis fornece aminoácidos que ajudam a quebrar de forma mais eficiente nitratos como nitrogênio, cálcio e potássio para a produção de proteína'', afirma Marcelo Gregorin, gerente de novos negócios da Syngenta.
Com o lançamento do produto, acrescenta Gregorin, a Syngenta entra em um novo mercado chamado de nutrição especial, que aglutina a inserção de macro e micro-nutrientes, além de aminoácidos. Atualmente, segundo o gerente, esse mercado já registra um índice de crescimento de 16,7% ao ano no País. ''Com isso, quem ganha é o produtor''.
De acordo com um estudo realizado pela empresa, o índice de retorno financeiro nas áreas aplicadas foi de 86%. Gregorin observa que além de eficiente, o produto é econômico. ''Para cada hectare, são utilizados somente dois litros do produto, a um custo de US$ 14'', explica ele, frisando que mesmo sendo um produto eficiente, a aplicação sempre deve ser monitorada por um especialista.
Fábio Alvares de Oliveira, pesquisador da Embrapa Soja, recomenda que a adubação foliar para a cultura da soja, por exemplo, deve ser encarada pelo produtor como um complemento. Na opinião dele, a inserção de nutrientes via aplicação foliar deve ser realizada quando for diagnosticado alguma deficiência nutricional por parte da planta.
O diretor do segmento soja da Syngenta, André Savino, aponta que a inclusão da empresa na linha de nutrição de plantas reforça a filosofia da organização que tem apostado em soluções integradas para fomentar a produção e a elevação da produtividade. A integração de diferentes produtos e serviços agronômicos prestados aos produtores, conforme ele, vem para atender a crescente demanda mundial por alimentos.
A origem
O princípio ativo do Quantis, desenvolvido pela empresa francesa Le Safre na Argentina, foi patenteado e readequado pela Syngenta para atender às necessidades das plantas de soja e feijão. Gregorin explica que a nutrição de plantas é o novo pilar que a empresa quer formar. ''O Quantis é uma ferramenta auxiliar do agricultor que quer ter uma boa safra'', explica.
Com os produtos que virão à base do Quantis, a empresa espera até 2014 adquirir uma receita de US$ 100 milhões. Gregorin sublinha que o investimento da Syngenta em pesquisa, no mundo, é elevado, cerca de US$ 1 bilhão ao ano. ''No próximo ano, outras culturas deverão ser beneficiadas com o Quantis'', destaca o gerente da empresa. Gregorin completa que, em dois anos, a partir de 2012, a empresa tem como meta crescer o seu faturamento em 50%.

Imagem ilustrativa da imagem Empresa aposta em produto para nutrição de plantas