As apreensões da Delegacia da Receita Federal do Brasil em Foz do Iguaçu (Oeste do Estado) totalizaram US$ 11,3 milhões em setembro, ante US$ 10,5 milhões do mesmo período de 2010 - incremento de 8%. Os produtos que se destacaram, em valor absoluto, foram veículos, que somaram US$ 3,5 milhões, seguidos pelos eletrônicos, US$ 3,1 milhões e cigarros, US$ 1,1 milhão.
Segundo a Receita em Foz, as apreensões de janeiro a setembro deste ano atingiram US$ 107,3 milhões em mercadorias e veículos. No comparativo com o mesmo período do ano passado, o aumento soma 26%. O auditor fiscal da RF em Foz, Ivair Luiz Hoffmann, credita o crescimento ao esforço conjunto de combate ao contrabando entre os órgãos fiscalizadores, incluindo o uso de helicíptero na fronteira, e também ao planejamento das atividades. No mês de setembro, foram apreendidos 253 veículos (entre automóveis, utilitários, ônibus, caminhões e motocicletas) usados para transportar contrabando.
Desde o início do ano, as apreensões de eletrônicos continuam crescendo: 11% a mais que em 2010. Os cigarros também continuam respondendo por uma parcela significativa dos flagrantes, que foram 32% superiores ao registrado em setembro do ano anterior. Entre os produtos que apresentaram o maior crescimento porcentual, em comparação com o mesmo mês do ano passado, estão bebidas (+ 73%) e perfumes (+ 54%), com cifras de US$ 32 mil e US$ 191 mil, respectivamente.
O mês de agosto, entretanto, registrou maior valor de apreensões que setembro, US$ 13,1 milhões. Para Hoffmann, além da sazonalidade, isso ocorreu devido ao aumento significativo do dólar. ''O contrabando é muito sensível aos preços do exterior. Como o dólar subiu, a compra de mercadorias tornou-se menos atrativa'', justifica.
Em Londrina
De janeiro a setembro de 2010, a delegacia somou R$ 4,3 milhões em apreensões de mercadorias e no mesmo período deste ano R$ 5,3 milhões. O chefe de Controle Aduaneiro da delegacia de Londrina, Evandro Oliveira Calvo, considera que o aumento expressivo é resultado da mudança de estratégia das operações de fiscalização.
Sem incluir veículos, em setembro deste ano a Receita Federal em Londrina registrou o maior valor de apreensões de 2011, somando R$ 1,210 milhão. O segundo maior mês foi junho, que atingiu R$ 1,151 milhão. Incluindo veículos, o maior mês foi junho, que somou R$ 1,315 milhão, deixando setembro na segunda colocação, com R$ 1,210 milhão.
De acordo com José Rozevaldo de Oliveira Silva, chefe da Equipe de Repressão Aduaneira da delegacia local, o destaque das apreensões ficou para os eletrônicos, com R$ 744 mil, valor 61% do total de mercadorias. Informática ficou em segundo lugar, com R$ 152 mil (12%) e em terceiro os cigarros, que somaram R$ 151,2 mil (13%). Sem incluir veículos, setembro de 2010 somou R$ 697 mil em apreensões e, incluindo os carros, o valor atingiu R$ 830 mil.

Imagem ilustrativa da imagem Em Foz, Receita Federal apreende US$ 107,3 milhões