O Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Cascavel e Região está questionando judicialmente a Caixa Econômica Federal (CEF) pela contratação de estagiários e terceirizados para tarefas que seriam específicas de trabalhadores bancários.
O sindicato move uma ação civil pública, que tramita na Vara do Trabalho de Cascavel, ainda na fase de instrução do processo. Segundo o vice-presidente da entidade sindical, Laerson Matias, a agência central da CEF mantém quinze estagiários e mais 17 terceirizados, sem que tenham sido submetidos a concurso, além de outros 45 funcionários concursados para diversas atividades. Aos primeiros, pagaria salários em torno de R$ 350,00, enquanto o salário inicial, fixado em convenção coletiva, é de R$ 800,00.
Laerson Matias observa que a CEF realizou em março concurso para seleção de pessoal, com 706 mil inscritos em todo o País. Os candidatos pagaram R$ 25,00, para se inscrever para o concurso. ‘‘Mas são raras as contratações até agora, e, no entanto, contratam estagiários e terceirizados’’. Em Cascavel, de mil aprovados ‘‘só um foi contratado’’, acrescenta.
O sindicato alega que a CEF, além de não considerar a necessidade de contratação por concurso, tenta ‘‘fraudar os direitos e conquistas da categoria dos bancários’’, por isso quer a anulação das contratações. A situação estaria revertendo ainda em ‘‘atendimento de qualidade discutível’’ aos que necessitam dos serviços da agência. A Folha procurou a gerência da CEF, que informou não haver ‘‘interesse em se pronunciar sobre o assunto’’. (Paulo Pegoraro)