MERCADO FINANCEIRO Dólar acumula queda de 0,40% na semana Agência Folha De São Paulo Mesmo com a turbulência que atingiu as Bolsas do Brasil e dos Estados Unidos, o dólar acumulou, nesta semana, uma desvalorização de 0,40%. A cotação da moeda norte-americana ficou ontem em R$ 1,739, mesmo valor de anteontem. Nos últimos dias, o índice Nasdaq, da Bolsa de Nova York, sofreu uma das maiores quedas de sua história, derrubando Bolsas no mundo inteiro. O Dow Jones ficou abaixo dos 10 mil pontos, e o Ibovespa atingiu seu nível mais baixo desde o dia 2 de fevereiro. Nada disso afetou a cotação do dólar. A notícia de que o Banco Central reconheceu um erro de US$ 7,790 bilhões em sua estimativa sobre os vencimentos da dívida externa previstos para este ano – que passou de US$ 22,224 bilhões para US$ 30,014 bilhões – também não influenciou o mercado de câmbio. No mercado futuro, que indica a percepção dos investidores quanto ao rumo do dólar, também houve desvalorização. Para os contratos com vencimento em abril, a moeda foi cotada hoje a R$ 1,745 – queda de 0,63% na semana. Para os que vencem em maio, a cotação ficou em R$ 1,770 – desvalorização de 0,62%. Na opinião de João Medeiros, da Pioneer Corretora, ainda há espaço para o dólar continuar caindo. ‘‘Algumas pessoas dizem que (o dólar) pode chegar a R$ 1,70, mas deve fechar o ano na faixa de R$ 1,75. Medeiros diz que a cotação da moeda dos EUA tem se mantido baixa por causa do contínuo fluxo de capital estrangeiro que tem entrado no Brasil. Ele afirma ainda que a exportação da safra agrícola, nos próximos meses, pode ajudar a derrubar as cotações. Na Bovespa, o dia ontem foi de poucos negócios. O Ibovespa fechou em baixa de 0,74%. O volume negociado, R$ 696,907 milhões, foi 13,28% menor do que o de anteontem.