REABERTURA COM CRITÉRIOS -

Decreto estabelece novo horário de funcionamento para shoppings e galerias


Vitor Ogawa - Grupo Folha
Vitor Ogawa - Grupo Folha

A prefeitura de Londrina decidiu pela reabertura e funcionamento dos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços instalados em galerias, centros comerciais e shoppings centers do município de Londrina, até o dia 17 deste mês, seguindo uma série de medidas sanitárias, de controle e de segurança, que visam garantir a proteção dos funcionários e frequentadores destes locais. Os estabelecimentos já podem funcionar a partir desta sexta-feira (8). As academias de ginástica e igrejas devem permanecer fechadas no momento. 


O Camelódromo contratou uma engenheira para elaborar o plano de ação que segue todos os critérios estabelecidos pela prefeitura.
O Camelódromo contratou uma engenheira para elaborar o plano de ação que segue todos os critérios estabelecidos pela prefeitura. | Divulgação/Fernando Silva
 


A decisão foi tomada na noite de quinta-feira (7), pelo prefeito Marcelo Belinati e foi respaldada pela orientação técnica do Coesp (Centro de Operações Emergenciais em Saúde Pública), composto por médicos e especialistas que estão analisando o cenário da pandemia diariamente. “O Coesp autorizou o retorno seguro, controlado, com critérios rigorosíssimos de retorno ao trabalho de shoppings e galerias. Eles estarão autorizados pela prefeitura a funcionar”, destacou o prefeito Marcelo Belinati. 




O funcionamento desses estabelecimentos está autorizado a funcionar de segunda-feira a sexta-feira, das 11h às 19h, adotando, se necessário, sistema de escala de revezamento entre os contratados. Excepcionalmente, em decorrência da proximidade da data comemorativa ao Dia das Mães, para se evitar concentração e aglomeração de pessoas, os estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços instalados em shopping centers poderão funcionar na sexta-feira (8), das 13h às 21h, e no sábado (9) das 11h às 19h. 


O prefeito Marcelo Belinati explicou que a decisão foi tomada porque houve uma flexibilização do decreto do governo do Estado que proibia o funcionamento dos shoppings centers e galerias, permitindo a decisão aos municípios. “O Coesp aprovou a volta destas atividades produtivas, seguindo muitas medidas de segurança, necessárias para manter o controle da pandemia do coronavírus e garantir a proteção às pessoas. Estas medidas, inclusive, foram apresentadas pelos próprios representantes dos shoppings, por meio do Plano de Contingência”, disse.


Belinati disse que o retorno dessas atividades visa exclusivamente o comércio e não o lazer, por isso está proibido o funcionamento de espaços voltados ao lazer, como praças de alimentação e cinema, bem como a entrada de crianças de até 12 anos nestes locais. “Temos que nos manter vigilantes e redobrar os cuidados, pois sabemos que a pandemia está apenas começando em nossa região. Permanece a orientação do distanciamento social, de lavar frequentemente as mãos com água e sabão, higienizá-las com álcool 70%, usar máscaras de tecido, e os que puderem devem ficar em casa, principalmente os que estão dentro do grupo de risco da Covid-19”, afirmou.


Camelódromo


O presidente do camelódromo, Fernando Silva, disse que recebeu a notícia do decreto com louvor. “Nós estávamos agoniados, porque não tínhamos como repor o pão dentro de casa. A vida é alimento. A gente ainda está se recompondo porque temos contas a pagar. Temos as contas de água, luz e o salários dos funcionários para pagar”, destacou. Segundo ele, o Camelódromo contratou uma engenheira para fazer o plano de ação do local. 


O Camelódromo contratou uma engenheira para elaborar o plano de ação que segue todos os critérios estabelecidos pela prefeitura.
O Camelódromo contratou uma engenheira para elaborar o plano de ação que segue todos os critérios estabelecidos pela prefeitura. | Divulgação/Fernando Silva
 



“Ela determinou quais portas podemos abrir, onde colocaremos o álcool em gel para os clientes, e todos os outros detalhes. Restringimos a entrada de crianças, estamos exigindo a higienização das mãos e o uso de máscaras no imóvel. Estamos obedecendo todos os critérios estabelecidos pela prefeitura. Os funcionários estão usando máscaras e na praça de alimentação os restaurantes estão funcionando só para retirar os produtos”, destacou. “Vamos nos unir e passar dessa fase cuidando da saúde e da questão monetária também, porque sem dinheiro as pessoas não têm como fazer consultas e nem como cuidar da saúde”, apontou. 


Shoppings


O superintendente do Shopping Catuaí, Diego Peralta, afirma que obviamente aguardava essa decisão dos órgãos públicos, que têm as informações sobre o Covid-19. “A gente acompanhou e soube da decisão por meio da live da prefeitura. A gente já vinha preparando com as melhores medidas adotadas no Brasil e com as recomendações da Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers) e as melhores medidas que a BR Malls tinha determinado", apresentou.


As cancelas também terão acionamento automático. Antes era preciso apertar o botão para sair o voucher e isso não será mais necessário. Embora o decreto permitisse que os shoppings abrissem desde sexta-feira (8), Peralta disse que o Catuaí permaneceu fechado para acertar todos os detalhes. “Como o decreto chegou à gente 12h45, seria irresponsável de nossa parte abrir sem observá-lo. A gente quer comunicar todo o procedimento aos funcionários e não quer uma escalada da doença na cidade e ter que fechar novamente por inobservância de algum item”, apontou.


O Catuaí terá dez termômetros disponíveis nas entradas e já removeu todo o mobiliário em que era possível sentar, inclusive na praça de alimentação. “Como decreto diz que o serviço de take away é possível, a gente está estudando maneiras de divulgar os telefones de lojistas para que eles tenham a opção dessa venda, porque não pode ter consumo no local. Mas certamente locais para sentar não estarão disponíveis no shopping.”



Confira todos os critérios para reabertura:


A reabertura está condicionada a uma série de regras para evitar a disseminação do Covid-19 nestes estabelecimentos. 


- Limitação do número de clientes e frequentadores em, no máximo, 50% da capacidade do local;


- Adoção de acessos exclusivos e independentes para entrada e saída, separados entre si, devidamente controlados;


- Limitação da entrada de, no máximo, duas pessoas da mesma família, desde que não apresentem qualquer dos sintomas suspeitos de Covid-19, utilizando-se, inclusive, de termômetro de medição instantânea por aproximação, em todas as entradas, impedindo o acesso de todo aquele que apresentar temperatura igual ou maior que 37,8º C;


- Proibição de utilização de fraldários, salas de amamentação e similares; proibição de utilização de praça de alimentação, quiosques ou qualquer outro espaço similar para consumo de produtos no local (esses locais serão interditados, preferencialmente com tapumes);


- Funcionamento de bares, restaurantes e lanchonetes serão exclusivamente, por meio do sistema de entrega em domicílio, de retirada no local mediante prévia encomenda e agendamento, e de venda sem que o cliente desça do veículo para fazer o pedido, efetuar o pagamento e retirar o produto;


- Retirada de bancos, sofás, poltronas e similares das áreas comuns de permanência e situadas fora das praças de alimentação;


- Proibição de abertura e funcionamento de cinemas, parques, playgrounds, espaços de recreação e quaisquer outras áreas de convivência similares;


- Suspensão dos serviços de valet ou manobrista;


- Número máximo de pessoas que podem adentrar os estabelecimentos, deverá ser informado por meio de placa ou cartaz afixado em todas as entradas, em local de fácil visualização;


- Cada estabelecimento será responsável pelo controle de entrada e saída de pessoas, de forma a impedir entrada de número maior que o permitido;


- Fica recomendado o afastamento de empregados, contratados e prestadores de serviços idosos, portadores de doenças crônicas (diabetes insulino dependentes, cardiopatia crônica, doenças respiratórias crônicas graves, imunodepressão, etc), e gestantes de risco, adotando sistema remoto de trabalho (home office);


- Fica vedada a entrada e permanência nas dependências dos shopping centers e lojas neles instaladas, de qualquer pessoa, inclusive empregados e demais contratados, sem a correta utilização de máscara de proteção;


- É vedada a entrada de crianças com até 12 anos de idade incompletos nesses estabelecimentos;


- Fica recomendado a idosos, portadores de doenças crônicas, gestantes e lactantes, que evitem, ao máximo, frequentar as dependências de shopping centers, galerias e centros comerciais, enquanto perdurar a situação de pandemia;


- Deve ser observado por clientes e frequentadores, o espaçamento mínimo obrigatório de dois metros entre as pessoas, também nos corredores de shopping centers, galerias e centros comerciais.


O Camelódromo contratou uma engenheira para elaborar o plano de ação que segue todos os critérios estabelecidos pela prefeitura.
O Camelódromo contratou uma engenheira para elaborar o plano de ação que segue todos os critérios estabelecidos pela prefeitura. | Divulgação/Fernando Silva
 



Quando as academias serão reabertas? 


O Coesp votou contra a reabertura das academias neste momento, por isso estes locais devem permanecer fechados até que se tenha nova decisão. Segundo o secretário municipal de saúde, Felippe Machado, os representantes do grupo acharam prudente aguardar o retorno das atividades dos shoppings e galerias, para observar o comportamento da pandemia na cidade nos próximos dias e colocar o tema na pauta de nova reunião daqui uma semana. 


“Tecnicamente essa discussão foi exaurida. O Coesp achou prudente aguardar o funcionamento do shopping para observar como se comportará, para que semana que vem avaliará a situação das academias por conta das dificuldades do monitoramento que é inerente à própria atividade dos exercícios. Nesse momento a maioria dos médicos entende que não é viável o retorno do funcionamento das academias. Esse processo é muito dinâmico e evidente que daqui a uma semana vamos reavaliar e levar para o Coesp no sentido de possibilitar o retorno das atividades”, destacou Machado. 


E as igrejas? 


Com relação às igrejas, Londrina continua seguindo o decreto do governo estadual, que permite que elas fiquem abertas apenas para aconselhamento individual, sem a realização de missas e cultos. “Como tinha decreto do governo proibindo o funcionamento das galerias e dos shoppings, em relação às igrejas existe um decreto do Governo do Estado vigente permitindo que as igrejas funcionem com aconselhamento individual e que não tenha culto”, destacou o prefeito. “O que a gente pede é que o Governo Estadual passe essa responsabilidade para as prefeituras”, solicitou o prefeito.




(Atualizada às 16h13)

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo