A Fleischmann, líder no mercado de fermento biológico (usado no setor de panificação), está inaugurando um novo segmento de negócios nas panificadoras do Brasil. Desde o dia 17 de outubro a empresa vem fazendo um teste em Curitiba de pães especiais e rústicos, folhados e croissants supercongelados. Nos próximos seis meses, 400 das 1.200 padarias e panificadoras da Região Metropolitana de Curitiba devem estar vendendo pães supercongelados. O consumidor final não percebe a diferença, mas os panificadores têm uma redução de gastos significativa.
As principais vantagens do supercongelado para os panificadores são a redução de etapas de produção e a maior oferta de produtos. Ele reduz em 70% o tempo necessário para a produção de pães. Assim, a panificadora pode ter um número maior de fornadas no dia e reduzir as perdas com descarte.
‘‘Fizemos uma pesquisa de mercado e percebemos que os donos de panificadora precisavam diminuir gastos e diversificar a clientela’’, explica Darcy Holanda Mendes, gerente de produto da Fleischmann. O objetivo da empresa é alcançar 5% do mercado de pães especiais no Brasil. A partir de 2001 haverá uma expansão para outras regiões do País. Atualmente, estão sendo ofertados 34 tipos de pães e massas folhadas supercongeladas.
Segundo Darcy Mendes, os preços dos supercongelados vão garantir ao dono da panificadora uma margem de lucro entre 30% e 50%, dependendo da estratégia de preços que ele utilizar. ‘‘Nossos produtos visam diversificar a oferta das panificadoras em segmentos específicos como o de pães especiais, não iremos produzir pão francês, essa deve ser a marca de cada panificadora.’’