Crescimento vai gerar ganho para trabalhador qualificado Arquivo FolhaOTIMISTAO ministro do Trabalho, Francisco Dornelles: ‘‘Setores que empregam muito já estão se recuperando’’ Agência Estado Do Rio de Janeiro O ministro do Trabalho, Francisco Dornelles, acredita que o crescimento econômico de 4% previsto pelo governo para este ano fará com que a renda do trabalhador brasileiro aumente este ano e recupere parte da queda de 5,5% registrada no ano passado, a maior perda desde 1992. O economista da PUC-RJ José Márcio Camargo concorda com a tese, mas alerta que esta alta no valor médio será reflexo apenas dos ganhos salariais obtidos pelos trabalhadores mais qualificados. ‘‘O restante da mão-de-obra terá sua renda inalterada’’, prevê Camargo. Ele explica que o setor de tecnologia vai movimentar o mercado de trabalho nos próximos anos. Ou seja, quem não estiver qualificado para as novas funções, terá ganhos cada vez mais reduzidos. Camargo observa que o cenário para 2000 não é tão negativo por conta do crescimento econômico esperado para o PIB. ‘‘Isso fará com que a taxa de desemprego baixe um ponto percentual.’’ O governo conta com a retomada da atividade produtiva para aumentar os ganhos dos trabalhadores no País. ‘‘Setores que empregam muito já estão se recuperando’’, ressalta Dornelles, que ontem visitou escolas de samba no Rio de Janeiro. A principal causa dessa reação será o reaquecimento da indústria e da agropecuária. ‘‘A safra agrícola de 2000 será boa e o setor vai precisar de novas contratações’’, explica. O ministro aponta ainda o incremento nas exportações como outro fator positivo. ‘‘Os produtos brasileiro ficaram mais competitivos e isso provocou uma substituição dos importados no mercado interno’’. O economista da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Flávio Castelo Branco, acredita que a média salarial do setor terá em 2000 um ganho real pela primeira vez desde os anos 80. Os dados da CNI mostram que o total de salários pagos pela indústria caiu 9,41% e a renda teve retração de 3,6% no ano passado.