IR 2000 Contribuinte deve fazer já os cálculos da sua declaração Agência Folha De São Paulo Os contribuintes do Imposto de Renda já devem fazer um esboço da declaração deste ano. O último prazo para a entrega está marcado para 28 de abril, há tempo de sobra, mas a antecipação dos cálculos permite saber se há eventual imposto a pagar. Na última semana, venceu o prazo para as empresas entregarem a seus funcionários o informe anual de rendimentos. Os bancos também já entregaram as posições anuais sobre aplicações. A Secretaria da Receita Federal, por sua vez, colocou na Internet (www.receita.fazenda.gov.br) o programa do IR 2000. Neste ano, as regras são basicamente as mesmas do ano passado. A novidade é que mais bancos – incluindo os maiores de varejo, como Bradesco, Itaú, Real e Unibanco – se integraram à rede credenciada que pode receber, direto na conta corrente indicada, a eventual restituição. Nem todos, porém, terão direito a uma restituição. Muitos contribuintes poderão se defrontar com um saldo de imposto a pagar. Daí a necessidade de fazer desde já pelo menos os cálculos iniciais. É simples. Com os dados da renda anual em mãos, é só somar as deduções previstas em lei e levar o resultado para a tabelinha prática de cálculo do IR. Do imposto devido em todo o ano, subtrai-se o que já foi retido na fonte ou recolhido por intermédio do carnê-leão e chega-se a uma restituição ou a um saldo de IR a pagar. Se a soma das deduções for superior tanto a 20% da renda tributável quanto a R$ 8.000, utilize o modelo completo. Ficando abaixo desses limites, calcule o imposto pela declaração simplificada, que oferece um desconto-padrão de 20%, limitado a R$ 8.000, sem a necessidade deindicação ou comprovação das despesas. Quem tem mais de uma fonte de renda e não recolheu a diferença pelo ‘‘mensalão’’ (que caiu em desuso com o fim da correção monetária) certamente terá saldo de imposto a pagar. No caso de assalariados com uma única fonte é difícil isso acontecer. Normalmente têm restituição porque na declaração anual entram despesas que não podem ser abatidas na fonte, ao longo do ano. É o caso de gastos com educação e saúde. Mas não se deve descartar a possibilidade de surgir um saldo de imposto a pagar. A cota única e a primeira parcela de quem resolve parcelar o pagamento vencem junto com a entrega da declaração, no dia 28 de abril. A declaração deste ano poderá ser entregue em formulário (na Receita ou nos correios) ou em disquete (em bancos credenciados ou na própria Receita). Mas a forma ideal é usar a Internet, pois aí você apressará sua restituição.