Volta às aulas -

Consumidor aproveita domingo para comprar material escolar


Walkiria Vieira - Grupo Folha
Walkiria Vieira - Grupo Folha

O início do ano letivo é também sinônimo de renovar o material escolar. Pensando em atender o grande número de consumidores esperado no período, as papelarias de Londrina planejaram a abertura por três domingos seguidos, a começar por esse, 19. E o público compareceu. Só no período da manhã, acompanhados dos filhos ou não, o movimento foi grande.


Consumidor aproveita domingo para comprar material escolar
Roberto Custódio
 




O carteiro Rodrigo Duarte de Souza esteve em uma papelaria da área central. Seus filhos, de sete e oito anos, estudam em Cambé (Região Metropolitana de Londrina) e a compra de material beirou os R$ 500. "Ano passado ficou quase a mesma coisa, gastamos R$15 a menos e ainda não compramos a mochila", expõe. Em sua opinião, funcionar aos domingos é uma praticidade, pois a família toda está reunida e ele e a esposa gostam de resolver assuntos assim juntos. 




A empresária Daniele Spirandelli também foi às compras no domingo.  "Eu não sabia que ia abrir até ontem (sábado). Assim que descobri a comodidade, resolvi liquidar a obrigação", explicou ela, que estava com o marido Adriano e o filho Antonio, prestes a ingressar no 3º ano do Ensino Fundamental 1.

Daniele e Adriano Spirandelli com o filho Antonio: comodidade
Daniele e Adriano Spirandelli com o filho Antonio: comodidade | Walkiria Vieira
 


Papel sulfite branco e colorido, cola, etiquetas, cartolina, tesoura, massinha, giz de cera, plástico com quatro furos, caderno brochura são artigos comuns nas listas e de uma escola para outra, há variações. Estrante nesse universo, a auxiliar administrativa e moradora de Cambé, Franciele Batista ainda está na fase das pesquisas. "Eu não tenho noção dos valores e é importante avaliar. Se bem que a lista da minha filha é bem básica, caderno é só um e pretendo seguir assim nos próximos anos, reforçando sobretudo a simplicidade porque não é preciso ostentação e muito enfeite". A consumidora deu nota 10 na opção de ir em pleno domingo à papelaria porque a semana é corrida. "Para você ter uma ideia, eu trabalhei até agorinha e aproveitei para começar a pesquisa aqui", revela. 


Morada de Assaí (RML), Deidy Nascimento otimizou a visita a familiares de Londrina no fim de semana e reservou um momento para garantir preço e qualidade do material escolar 2020 da filha, aluna da Educação Infantil. "São muitos itens e em uma cidade grande como Londrina existem mais opções e com melhor negociação", pensa. Na companhia da filha, a consumidora permite que a pequena opine, mas com moderação. "É uma oportunidade para mostrar a eles como poupar, comprar o necessário e falar também de educação financeira, dentro do que ela já entende", ensina. 


No centro, além das papelarias que tradicionalmente abrem aos domingos que antecedem o retorno às aulas, havia também loja de variedades no Calçadão com várias ofertas de materiais e acessórios escolares. O fluxo tímido, na opinião do gerente de uma papelaria na rua Minas Gerais, Marcos Mendes, é aceitável. "Como hoje é o primeiro, é normal. De todo modo, decidimos abrir para criar a identidade", explica. O gerente também confirma que o atendimento com equipe reduzida foi planejado e esse é um momento especial para o ramo. 

 

GANHANDO ESPAÇO

As papelarias abertas aos domingos vem ganhando espaço. De acordo com o empresário Álvaro Loureiro Júnior, é uma opção para os fregueses. "São muitas escolas municipais, estaduais e particulares retomando as aulas simultaneamente, e graças ao acordo coletivo com o Sindicato dos Empregados, podemos oferecer esse conforto". O comerciante reforça que todas as papelarias estão autorizadas. "Protocolamos o pedido e, com o deferimento e alvará, a abertura está programada para três domingos - 19, 26 de janeiro e 2 de fevereiro", sinaliza.


Pela experiência profissional, ele acredita que o próximo domingo, por conta do vale que muitas empresas pagam a seus colaboradores, será de movimento intenso. "Pessoas de Sertanópolis, Jataizinho e até Cândido do Mota, reconhecem nossa tradição". Ao todo, o comerciante colocou seis lojas em funcionamento. "Aumentamos a contratação de atendentes em 15% em relação ao ano anterior e acreditamos muito na economia".


NA ZONA LESTE 

 Jhonnathan Andrey, comerciante do Interlagos: muita preparação
Jhonnathan Andrey, comerciante do Interlagos: muita preparação | Walkiria Vieira
 



No jardim Interlagos, região leste de Londrina, também foi dia de comprar material escolar. O comerciante Jhonnathan Andrey aposta no período e esclarece que abre todos os domingos até ao meio-dia. "Só que nos preparamos muito para atender essa demanda, esses domingos são diferenciados". O comércio de família tem 19 anos e entra ano, sai ano, os proprietários já sabem que quanto mais perto do dia que as aulas começam, aumenta o volume de vendas, assim como orçamentos Com a vitrine visivelmente preparada para o ano letivo 2020, as mochilas, capas de cadernos e muitas personagens famosas atraem. "Alguns pais se queixam de itens como o papel eva decorado, mas quando veem o resultado dos trabalhados, entendem a necessidade", sustenta. 





Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias