A estimativa de que a safra 2000/2001 poderá superar os 90 milhões de toneladas não é consenso entre os especialistas do setor. O analista Fábio Silveira, da Tendência Consultoria, acredita que a safra de grãos de 2001 deverá ficar em torno de 87 milhões de toneladas. A consultora Leila Vieira, da MB Associados, diz que o Brasil deverá produzir 88,3 milhões de toneladas de grãos na temporada 2000/01, e também não acredita que a produção possa superar os 90 milhões de toneladas.
De acordo com Silveira, o número previsto pela Tendências não é fabuloso, como outras estimativas que ultrapassaram os 90 milhões de toneladas, porque a consultoria prefere adotar uma visão mais conservadora do cenário para 2001, dado a distância temporal até a colheita da próxima safra. Ainda assim, a previsão de 87 milhões de toneladas, se concretizada, será um recorde na produção nacional.
Silveira pondera que se, de um lado, os preços melhores conseguidos pelos produtores de soja e milho em 2000 apontam para um crescimento na área plantada e no uso de tecnologias, o acompanhamento histórico da safra brasileira mostra que, nos últimos 12 anos, a safra brasileira cresceu a um ritmo médio de 1,8% ao ano. ‘‘Apenas em 1999, o Brasil conseguiu romper a produção de 80 milhões de toneladas. Seria temeroso prever que em apenas um ano este número cresceria para 90 milhões.’’
A analista Leila Vieira diz que não há nada de excepcional a se esperar do desempenho da próxima safra. ‘‘A produtividade das lavouras deve se manter estável, e o aumento na venda de insumos reflete na verdade uma antecipação das compras. As condições macroeconômicas, como juros mais baixos, favoreceram o planejamento mais antecipado da produção’’, diz.
A estimativa da MB Associados prevê uma colheita de 32,7 milhões de toneladas de soja, praticamente estável em relação à produção da safra corrente. A colheita de milho deverá somar 36 milhões de toneladas, somadas as duas safras, o que representa um crescimento de 12% no ano. O País deverá colher 2,55 milhões de toneladas de trigo no ano que vem, com um aumento de 34% sobre a colheita deste ano.
A analista salienta que tanto o milho quanto o trigo estão saindo de uma safra muito frustrada pela seca e pelas geadas. O País ainda depende de importações desses produtos, o que tornou os preços mais favoráveis este ano, além da escassez gerada pela quebra.
A Tendências Consultoria prevê uma safra de milho de 34 milhões de toneladas, alta de 7,5% em relação ao esperado para 2000, e uma safra de soja de 33,4 milhões de toneladas, alta de 5,5%. Segundo Silveira, estes dois grãos serão beneficiados pela alta dos preços registrados neste ano. A produção de arroz está sendo estimada em 11 milhões de toneladas, estável em relação ao ano anterior. ‘‘Os preços deprimidos do arroz em 2000 trouxeram instabilidade para o produtor que não deverá investir no aumento da produção’’, disse. Para o feijão, a estimativa é de uma produção de 3,12 milhões de toneladas, alta de 1%.