Com restrição da aftosa, Expo terá menos animais, mas espera resultado melhor


Luis Fernando Wiltemburg - Grupo Folha
Luis Fernando Wiltemburg - Grupo Folha

Com restrição da aftosa, Expo terá menos animais, mas espera resultado melhor
Gustavo Carneiro/ARquivo Folha
 

Na sexagésima edição da Feira Agropecuária e Industrial de Londrina, a primeira após a polêmica decisão de declarar o Paraná como um estado livre da febre aftosa, a Sociedade Rural do Paraná aguarda um menor número de bovinos na festa, mas acredita em resultados iguais ou superiores aos da feira anterior. Em 2019, a ExpoLondrina movimentou R$ 615,6 milhões, um volume de negócios 10% menor em relação à de 2018. 


A demarcação do Paraná como área livre de aftosa impede a entrada de bovinos e bubalinos vindos de outras regiões onde a vacinação ainda é praticada – somente Santa Catara também tem o status de livre da doença sem vacinação, mas o único Estado já reconhecido pela OMS (Organização Mundial de Saúde), certificação que demorou cinco anos para ser homologada. Com isso, Santa Catarina pode enviar bovinos para o Paraná, mas os animais não podem retornar – podem permanecer no Estado ou seguir para outros. 




Responsável pela coordenação de animais na exposição, o diretor administrativo-financeiro da SRP, Moacir Sgarione, afirma que a restrição de animais de fora do Paraná deve reduzir em 40% a presença destes animais na feira deste ano, mas que o número é relativamente pouco: devem ficar de fora 80 cabeças de angus e 120 de nelore presentes, mas, contando outros animais, como equídeos, caprinos e ovinos, devem vir de 6,8 mil a 7 mil cabeças para a ExpoLondrina. 


Para o presidente da SRP, Antônio Sampaio, a restrição é uma realidade da qual não dá para escapar. “O fechamento tem atrapalhado um pouco, mas estamos nos adaptando a ela.” Além disso, ele avalia que a restrição tem seus lados negativos, mas também suas vantagens. “Teremos menos animais, mas isso também deve elevar os preços nos leilões, devido à pouca oferta”, afirma. Até o momento, 14 eventos estão programados para ocorrer na ExpoLondrina 2019 e, até a data da feira, podem ser marcados outros. Além disso, a liquidez dos leilões no ano passado atingiu a marca de 79,9%, nível considerado alto pelos organizadores da feira. 


Sampaio voltou a ressaltar a estabilidade política do Brasil como um indicativo de esperança para um resultado melhor em 2020, visto que ela traz estabilidade para o mercado. “A exposição traz informação, animais, tecnologia, maquinário, e isso tudo, o empresário que ‘tirou o pé’ [segurou os investimentos], não quer ver. Mas o país está se recuperando, com uma inflação muito baixa e com uma estabilidade política. Nós já estamos com 90% das áreas comercializadas”, afirma. 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias