Sid Sauer
De Campo Mourão
A Cooperativa Agropecuária Mourãoense (Coamo) inaugura hoje, em seu terminal portuário de Paranaguá, as novas instalações de um armazém com capacidade para 55 mil toneladas a granel.
O novo armazém praticamente dobra a capacidade de recepção e armazenagem da Coamo no Porto de Paranaguá. A solenidade de inauguração, que está marcada para as 16h30, com a presença do governador Jaime Lerner (PFL), faz parte das comemorações em torno dos 65 anos do porto.
Além do novo armazém, a cooperativa apresenta oficialmente hoje a modernização do sistema de embarque de navios. Foram implantadas duas novas linhas de embarque, totalmente automatizadas e com balanças de fluxo próprias. Cada uma possui uma capacidade de 3 mil toneladas por dia. No total, o investimento da cooperativa de Campo Mourão nas melhorias no porto foi de R$ 12 milhões.
‘‘O ano de 99 notabilizou-se pela consolidação do Porto de Paranaguᒒ, diz o presidente da cooperativa, José Aroldo Gallassini. ‘‘A Coamo investiu na adequação da sua estrutura portuária para atender ainda melhor os seus clientes’’. Segundo ele, a modernização dará maior velocidade aos embarques dos produtos - farelo e óleo de soja, milho e algodão - destinados principalmente ao mercado externo. ‘‘Isso vai propiciar melhores resultados para os nossos clientes, além de garantir um maior volume de carga segregada, dando uma maior identidade dos nossos produtos no corredor de exportação’’, ressalta Gallassini.
Durante o ano passado, a Coamo embarcou através do terminal portuário 182 navios, totalizando 878,7 mil toneladas de produtos próprios e de terceiros. As exportações no ano atingiram US$ 148,47 milhões, com um crescimento de 12% em relação ao ano anterior.
A Coamo também mantém em Paranaguá uma indústria de esmagamento de soja. O parque industrial da cooperativa se concentra em Campo Mourão, onde são mantidas uma indústria de esmagamento de soja, uma refinaria de óleo do grão, fiação de algodão, destilaria de álcool e moinho de trigo.
Ainda para este primeiro semestre a cooperativa planeja colocar em operação a indústria de margarina e gordura hidrogenada.