O volume processado de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do País continuam superiores à safra passada, segundo levantamento da primeira quinzena de junho da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). Pelos cálculos da entidade, foram moídas 41,47 milhões de toneladas do produto até o último dia 15, 32% acima do valor registrado no mesmo período da safra 2013/14.
No acumulado desde o início da atual safra até 15 de junho, a moagem totalizou 158,95 milhões de toneladas, valor levemente superior ao montante apurado no mesmo período de 2013, de 153,33 milhões de toneladas.
O Paraná, em contrapartida, continua em ritmo mais lento em comparativo ao ano passado. Números divulgados pela Associação de Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar) mostram que até o dia 16 de junho foram esmagadas 10,75 milhões de toneladas de cana, contra 10,95 milhões do ano passado, uma retração de 1,8%. A produção de açúcar até meados de junho é de 638,3 mil toneladas, contra 671,6 mil da safra 2013/14, uma redução importante de 4,9%. Já em relação ao etanol, até o momento, a safra paranaense produziu 390,8 milhões de litros, contra 397,4 milhões do ano passado, diminuição de 1,66%.
O presidente da Alcopar, Miguel Rubens Tranin, comenta que a produção da última quinzena esteve muito aquém das duas anteriores, com o processamento chegando a apenas dois terços da capacidade total de moagem. "O que atrapalhou foram as chuvas em excesso que acontecem no Estado, ao contrário da estiagem que atinge São Paulo. Se por um lado a safra pode atrasar, por outro podemos ter uma produção mais significativa", analisa ele.
Em relação ao Açúcar Total Recuperável (ATR), que corresponde à quantidade de açúcar disponível na matéria-prima subtraída das perdas no processo industrial, a cana paranaense está mais pobre em comparativo a safra passada. "Estamos aguardando o tempo melhorar para que o ATR do produto ganhe um incremento. No que diz repeito à produção, vale dizer que se o etanol hidratado e o açúcar estão inferiores, mas o álcool anidro cresceu 13%, em detrimento da queda dos outros dois", completa Tranin.
A expectativa da Alcopar é de uma produção de 1,5 bilhão de litros de etanol e 3 milhões de toneladas de açúcar até o final da safra, muito próximo aos números do ano passado. O Estado, tradicionalmente o primeiro do País a iniciar a colheita, começou os trabalhos da safra 2014/15 com atraso de duas semanas justificada pelas geadas do ano passado e também pela estiagem dos meses de janeiro e fevereiro, que atrapalharam o desenvolvimento das plantas. No Paraná, há 27 usinas operando até o momento.

Imagem ilustrativa da imagem Chuvas atrapalham processamento da cana no Paraná