Centrais se unem por jornada de 40 horas Agência Estado De São Paulo As três principais centrais sindicais do País – Única (CUT) e Geral dos Trabalhadores (CGT) e Força Sindical, que representam mais de 20 milhões de operários – iniciaram ontem campanha conjunta pela redução da carga de trabalho para 40 horas semanais. A média atual é de 44 horas. Dirigentes das três entidades e sindicalistas realizaram um ato no Viaduto do Chá, na região central de São Paulo, e distribuíram panfletos. Eles calculam que a jornada menor resultaria na criação de 1,7 milhão de empregos. Na próxima semana, sindicatos de várias categoriais iniciarão a entrega da pauta com a reivindicação para as empresas. ‘‘Se elas não tiverem disposição em negociar, vamos fazer paralisações temporárias, que, depois, poderão ser decretadas por tempo indeterminado’’, afirmou o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho. As centrais também iniciam nos próximos dias a coleta de 1 milhão de assinaturas para encaminhar ao Congresso o pedido de votação de lei estabelecendo a semana de 40 horas. A Força Sindical realiza hoje assembléia com trabalhadores aposentados dos setores metalúrgico, construção civil e pesada e comércio para aprovar a criação do Sindicato Nacional dos Aposentados. A entidade espera reunir cerca de 10 mil aposentados, a partir das 8h30, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo. O sindicato nacional deverá nascer com aproximadamente 3 milhões de associados. Cada um pagará 10 centavos/mês. Gates pode instalar fábrica em Londrina Cláudia Lopes De Londrina Diretores da empresa americana Gates estão negociando com a Companhia de Desenvolvimento de Londrina (Codel) a instalação de uma unidade industrial para a fabricação de correias para o setor automotivo em Londrina. A informação foi dada ontem à Folha pelo diretor do Plano de Desenvolvimento Industrial de Londrina, Abraham Shapiro, na FeiraCon. Ele acompanhava o cônsul para assuntos comerciais do departamento do Comércio dos Estados Unidos, Paulo Mendes. Com investimentos de US$ 30 milhões, a indústria deve gerar 150 empregos. O escritório de negócios com os Estados Unidos (Nusa) que funciona na Codel já recebeu inúmeros contatos de americanos interessados em importar produtos londrinenses. Um dos negócios concretizados é de uma empresa recicladora de plástico de Londrina que vai exportar um equipamento para os Estados Unidos’’, contou Shapiro.