Caixa libera saque de R$ 500 do FGTS para 8,8 milhões nesta sexta

Nesta etapa devem ser distribuídos R$ 3,4 bilhões para trabalhadores nascidos em abril e maio

Clayton Castelani - Folhapress
Clayton Castelani - Folhapress

São Paulo - A Caixa Econômica Federal vai liberar a partir desta sexta-feira (8) o saque de até R$ 500 do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para 8,8 milhões de trabalhadores nascidos em abril e maio. Nesta etapa, o banco prevê a distribuição de R$ 3,4 bilhões. 


Para facilitar o atendimento, 2.381 agências da Caixa terão horário estendido nesta sexta (8) e na segunda-feira (11)
Para facilitar o atendimento, 2.381 agências da Caixa terão horário estendido nesta sexta (8) e na segunda-feira (11) | Marcos Zanutto/27-09-2019
 


O chamado saque imediato faz parte de uma medida emergencial do governo para tentar aquecer a economia. 


Nessa modalidade de saque, todos os trabalhadores que têm saldo em contas ativas ou inativas do FGTS podem realizar a retirada de até R$ 500, sem que isso prejudique o resgate do valor total do fundo nas ocasiões previstas em lei, como na demissão sem justa causa.  




Trabalhadores com poupança na Caixa tiveram os valores automaticamente disponibilizados em suas contas. Os demais podem realizar os saques de acordo com o calendário de pagamentos organizado conforme o mês de nascimento. 


Para facilitar o atendimento, 2.381 agências da Caixa terão horário estendido nesta sexta (8) e na segunda-feira (11).  


Nas localidades em que as agências abrem habitualmente entre 9h e 11h, o atendimento ao público será antecipado em uma hora. A lista das agências com horário especial de atendimento está no site fgts.caixa.gov.br. 


Até o dia 5 de novembro, foram pagos mais de R$ 17,4 bilhões do saque imediato do FGTS para cerca de 41,3 milhões de trabalhadores, o que representa 43% dos 96 milhões de contemplados pela medida.  


REGRAS DA MODALIDADE 

O trabalhador que optar pelo saque imediato continua com o direito de retirar todo o saldo da conta do FGTS, caso seja demitido sem justa causa ou nas demais regras previstas em lei, como a aposentadoria.  


O saque de até R$ 500 por conta, ativa ou inativa, do FGTS também não significa adesão ao saque-aniversário nem a perda do direito à multa rescisória de 40%. 


Nos saques feitos na agência, não haverá a cobrança de tarifa quando o trabalhador optar por transferir o valor para outro banco. 


O calendário termina em dezembro, com o pagamento para nascidos nos meses de novembro e dezembro. 


Os trabalhadores, independentemente do mês de aniversário, terão até o dia 31 de março de 2020 para pegar o dinheiro. 


Caso o saque não seja feito até essa data, os valores retornam para a conta de FGTS do trabalhador. 


A Caixa possui uma central de atendimento telefônico para tirar dúvidas sobre o saque imediato do FGTS. O número é o 0800-7242019. 



Câmara aprova MP que amplia para

R$ 998 valor de saque do FGTS 



Brasília - A Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira (6) a medida provisória com regras para o saque do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e que aumentou de R$ 500 para R$ 998 o valor que pode ser retirado de contas do Fundo. 


O texto-base da MP foi aprovado por votação simbólica, e tentativas de alterações foram rejeitadas pelo plenário. Agora, o projeto vai ao Senado. 


O texto foi aprovado na terça-feira (5) por comissão formada por deputados e senadores. O relatório aprovado, do deputado Hugo Motta (Republicanos-PB), estabelece que só poderá realizar este saque total quem tinha um saldo de até um salário mínimo (R$ 998) em 24 de julho deste ano, quando a MP entrou em vigor. 


Caso a lei seja sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), quem já retirou o dinheiro poderá sacar o restante. 


Para quem tinha mais de um salário mínimo na conta do FGTS o saque continua limitado a R$ 500. 


O relator incluiu em seu parecer prazo de 180 dias a partir da sanção presidencial para a retirada de valores residuais de R$ 80. 


O texto aprovado no colegiado permite saque da conta do FGTS caso o trabalhador ou qualquer de seus dependentes tenham doenças raras.  


O texto também acaba com a multa adicional de 10% sobre os depósitos no caso das demissões sem justa causa. (Danielle Brant/Folhapress)


Continue lendo


Últimas notícias