Desde ontem animais vivos suscetíveis à febre aftosa, assim como carnes e subprodutos de origem animal e material genético procedentes do município de Artigas, no Uruguai, estão proibidos de entrar no Brasil por tempo indeterminado. A determinação consta de comunicado enviado ao diretor do Departamento de Pecuária do Ministério da Pecuária, Agricultura e Pesca do Uruguai, Julio Barozzi, pelo diretor do Departamento de Defesa Animal do Ministério da Agricultura, Hamilton Farias, na tarde de ontem.
A medida, segundo Hamilton Farias, tem caráter preventivo e foi tomada devido à comunicação feita ao governo brasileiro, pelas autoridades uruguaias de ocorrência de aftosa em Artigas, município que faz fronteira com a localidade de Quaraí (RS). O comunicado ocorre um dia após o secretário de Defesa Agropecuária, Luiz Carlos de Oliveira, haver recebido a informação, por telefone, de que havia suspeita de focos da doença em Artigas.
O fechamento da fronteira entre Artigas e Quaraí, foi decidido pelas autoridades brasileiras para evitar a disseminação da aftosa em outras localidades gaúchas, além de proteger a economia de Quaraí, sustentada na pecuária, produção de arroz e de lã.