|
  • Bitcoin 105.973
  • Dólar 5,1906
  • Euro 5,4190
Londrina

BAIXO RETORNO

m de leitura Atualizado em 25/05/2022, 18:27

Bolo Tributário informa a população sobre a carga de impostos no Brasil

O impostômetro, colocado no Calçadão pelo Sescap-Ldr, mostra que o brasileiro já havia pagado R$ 1,159 trilhão em impostos neste ano

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 25 de maio de 2022

Vítor Ogawa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O Sescap-Ldr (Sindicato das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações, Pesquisas e de Serviços Contábeis de Londrina e Região) realizou na quarta-feira o  "5º Bolo Tributário" no Calçadão de Londrina (em frente ao Banco do Brasil). A atividade teve como objetivo mostrar para população o quanto se paga de tributos no Brasil, como esse recurso deveria ser aplicado, ao mesmo tempo, chamar a atenção da população e autoridades para a elevada carga tributária, e também destacar o Dia Nacional do Respeito ao Contribuinte. Foi exposta uma relação de produtos com os percentuais de impostos que incidem sobre cada um deles.

Imagem ilustrativa da imagem Bolo Tributário informa a população sobre a carga de impostos no Brasil Imagem ilustrativa da imagem Bolo Tributário informa a população sobre a carga de impostos no Brasil
|  Foto: Gustavo Carneiro
 

Marcelo Odetto Esquiante, presidente do Sescap-Ldr afirmou que a atividade quer conscientizar a população sobre quanto ela paga de impostos sobre os produtos que consome. “Muita gente acha que não paga imposto e só acha que a tributação só ocorre pelo IRPF (Imposto de Renda sobre Pessoa Física), no entanto todos os produtos que a gente consome tem um percentual de imposto embutido. A conta de luz, por exemplo,  48,28% do que a gente paga é imposto. Na aquisição da cesta básica quase 20% é imposto.”, declarou Esquiante.

Ele relatou que muita gente não tinha noção disso. “Foi engraçado um episódio, pois quando colocamos a prateleira com os produtos e com o percentual de impostos, tinha um vidro de perfume e uma senhora perguntou se estávamos vendendo perfume. Quando falamos que não e que estávamos mostrando quanto cada produto tem de imposto embutido, ela falou que não paga imposto. Ela achava que não paga nada, porque não declara o IRPF.” O perfume importado paga 78,99% de imposto e o nacional paga 69,13%. “Muita gente falou que não paga imposto, mas isso não é real.” Ele exemplificou que as bebidas alcoólicas, por exemplo, estão entre os produtos que mais pagam impostos. A cachaça paga 81,7% de imposto sobre o valor final do produto. O chope paga 62,20%. O vinho importado paga   59,73% e a cerveja paga 42,69%. “Por ser  supérfluo, o imposto é maior. Mas alguns itens básicos possuem uma alta carga tributária. Materiais escolares, por exemplo, possuem itens como o papel sulfite que possui 37,77% de carga tributária. A caneta tem uma carga tributária de 49,95%. Essa taxação também ocorre nos produtos de maior necessidade como o feijão, que paga 17,24% de imposto, o açúcar possui carga de 30,6% de tributos e o pão francês paga 16,86%. A máscara que usamos durante a pandemia 30,16% de imposto”, ressaltou.

Imagem ilustrativa da imagem Bolo Tributário informa a população sobre a carga de impostos no Brasil Imagem ilustrativa da imagem Bolo Tributário informa a população sobre a carga de impostos no Brasil
 

Durante a atividade o Sescap-Ldr colocou visível o impostômetro, elaborado pela Associação Comercial de São Paulo. “Do dia 1º de janeiro até o momento que estávamos lá no Calçadão o governo havia arrecadado mais de R$ 1,159 trilhão, ou seja, a cada 12 segundos o governo arrecada R$ 1 milhão. Várias pessoas se assustaram com o número. No próprio site do Impostômetro (https://impostometro.com.br/) tem a tabela com a relação dos percentuais de cada produto e de quanto é arrecadado com esses impostos em tempo real. Tem a listagem por vários segmentos.”, expôs.

Ele ressaltou que em termos do retorno em serviços para a população desse montante arrecadado, o Brasil está na 30ª posição. No ranking dos Países em que os impostos trazem mais bem-estar à sociedade, em primeiro lugar está a Irlanda, seguido pelos Estados Unidos, Suiça, Coréia do Sul, Austrália, Japão, Canadá e Israel. 

Questionado sobre o balanço dos cinco anos em que o Bolo Tributário foi realizado pelo Sescap-Ldr, ele afirmou querer que a ação desse mais resultado. “A atividade é realizada no Brasil inteiro pelas Sescaps e pela Sescons (Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis).” Sobre o baixo interesse, ele afirma que a população tem culpa nisso, porque muitos acham que esse tributo não afeta o seu cotidiano e não tem nada a ver com isso. “Gostaria que essa queixa dos altos impostos chegasse aos governantes. O País precisa de uma reforma tributária, mas a última tentativa que cogitaram realizar iria aumentar ainda mais os impostos. Na última hora eles sempre acabam inventando algo para desfocar da reforma”, ressaltou.

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.