O Banco do Brasil lançou ontem no Paraná a primeira CPR-Financeira (Cédula do Produto Rural) do país. O contrato foi assinado, em Curitiba, pelo produtor de café de Sertanópolis, Pedro Favoreto e pelo diretor de crédito rural do BB, Ricardo Conceição. A operação selou a venda antecipada de 6.750 sacas de café no valor de R$ 800 mil, para liquidação financeira dentro de 90 dias, com taxas de juros de 1,79% ao mês.
A diferença da CPR-Financeira é que a liquidação do contrato é feita em dinheiro, ao contrário da CPR-Física onde a liquidação é feita pela entrega física do produto. A expectativa é que esse novo papel atraia muitos recursos para a agropecuária. Segundo Conceição, já existe muito interesse por parte de entidades financeiras e de fundos de investimentos em aplicar nas CPRs-Financeiras. O próprio Banco do Investimentos do Banco do Brasil tem interesse em investir nas CPRs-Financeira’’, disse.‘‘ Trata-se de um meio de investir na agropecuária, sem que o investidor fique com o produto, operação que tem o aval do BB’’, explicou.
Dessa forma, qualquer investidor pode fazer uma CPR em boi, café, soja ou qualquer outro produto que ele acredita que terá uma valorizaçãos superior às aplicações existentes no mercado. Conceição ressaltou que o mecanismo é o mesmo da Bolsa de Valores, onde o investidor assume o risco da operação. Outro mecanismo que está atraindo a atenção de investidores institucionais, inclusive internacionais é a CPR-exportação, mecanismo pelo qual o BB dá o aval para que o produtor possa ser exportador de seu produto, com a garantia que a mercadoria será entregue no porto no prazo fixado.