Cascavel Durante os cinco dias do Show Rural Coopavel, o Banco do Brasil (BB) recebeu cerca de R$ 130 milhões em propostas para financiamentos. Do total de 2.930 propostas, a instituição financeira liberou mais de R$ 60 milhões, sendo a grande maioria para pequenos e médios agricultores que utilizaram os recursos para adquirir animais, máquinas e implementos agrícolas.
O Banco do Brasil esteve participando pelo oitavo ano consecutivo do Show Rural. Em 2000, financiou cerca de R$ 2,6 milhões em máquinas e equipamentos. Na edição do ano passado atingiu um total de R$ 33 milhões em proposta e R$ 19,5 milhões em financiamentos. A marca alcançada na edição desse ano supera o recorde anterior do banco, de R$ 59 milhões, alcançado durante a Agrishow de Ribeirão Preto (SP), em 2002.
O vice-presidente de Agronegócios e Governo do Banco do Brasil, Ricardo Conceição, esteve ontem na agência montada na feira participando da assinatura de contratos com produtores e cooperativas, num total de R$ 1,4 milhão. O principal contrato - de R$ 1 milhão - foi assinado com a Coopavel, através de Empréstimo do Governo Federal (EGF), para estocagem de milho.
Conceição ressaltou que o Banco do Brasil é responsável por 46% dos financiamentos rurais e agroindustriais aplicados pelas instituições financeiras no País. Segundo ele, no Paraná, o BB aplicou em 2002 R$ 1,9 bilhão, ou seja, 20% de todo o crédito rural do Brasil. Foram 164 mil famílias atendidas no Estado, das quais 120 mil são mini e pequenos agricultores.
O diretor do BB observou que, para 2003, o banco tem o objetivo de aumentar o número de famílias atendidas no Paraná pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). E lembrou que, em 1995, quando foi lançado, o programa atendeu 3.258 famílias paranaenses, no valor total de R$ 8,9 milhões. Em 2002, foram 103.790 famílias e R$ 285,7 milhões liberados. ''Vamos continuar trabalhando para atender um número maior de famílias'', concluiu.