Balanço da Integrada apresenta resultado recorde de R$ 78 mi

Mesmo com recuo de 3,1% no faturamento global em 2019, cooperativa registrou maior resultado em 24 anos; associados vão receber R$ 26 milhões em sobras

Simoni Saris - Grupo Folha
Simoni Saris - Grupo Folha

A Cooperativa Integrada realizou, nesta quarta-feira (4), a 24ª Assembleia Geral Ordinária para apresentação do balanço referente ao ano de 2019. Mesmo com recuo de 3,1% no faturamento global em relação a 2018, encerrando o ano passado com R$ 3,2 bilhões, a cooperativa registrou o maior resultado desde a sua fundação, em 1995, alcançando o resultado líquido de R$ 78 milhões. Um terço desse valor, que totaliza R$ 26 milhões, será distribuído entre os cerca de 10.300 associados.

O diretor-presidente da Integrada, Jorge Hashimoto, explicou que o resultado recorde foi possível em razão do aprimoramento do trabalho de gestão e governança, melhoria dos processos operacionais e redução das despesas. “Isso é treinamento em cima de treinamento e conscientização dos nossos colaboradores. E a austeridade na administração, que se reverte em um resultado melhor”, avaliou.



O rateio das sobras entre os cooperados é feito de acordo com a movimentação de cada um deles em 2019, que é a comercialização dos produtos entregues à cooperativa. Morador de Arapongas (Região Metropolitana de Londrina) e associado à Integrada em Astorga (Região Metropolitana de Maringá), o produtor rural Paulo Polvani comemorou os resultados. “O agricultor, sempre que tem um resultado, agradece à cooperativa. Somos quatro irmãos e (as sobras) nós dividimos entre nós para investirmos na própria propriedade, na compra de calcário, adubação e rotação de cultura. Ajuda muito.”  



“Tivemos um início de 2019 difícil, mas que se mostrou bom ao final. As margens na agropecuária são bem pequenas, a margem líquida de grãos não passa de 2%, mas os investimentos que as cooperativas fizeram, agregando valor, possibilitou uma rentabilidade melhor. Foi um ano bem produtivo para as cooperativas do Paraná”, destacou o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. Segundo ele, as 216 cooperativas do Estado movimentaram no ano passado R$ 87 bilhões e a agropecuária representa 84% desse volume. “É o setor que mais investe, que mais cresce, são as cooperativas mais industrializadas.”

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:

Últimas notícias

Continue lendo