|
  • Bitcoin 121.259
  • Dólar 5,0515
  • Euro 5,2137
Londrina

Economia

m de leitura Atualizado em 29/06/2022, 16:19

Audi retoma produção de carros em fábrica paranaense

Reinauguração oficial ocorreu nesta quarta (29), mas os veículos começaram a ser montados há uma semana. Há 200 funcionários na unidade

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 29 de junho de 2022

Folhapress
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

São José dos Pinhais - A Audi retomou a produção na fábrica de São José dos Pinhais, no Paraná, que faz parte do complexo industrial do grupo Volkswagen.

Imagem ilustrativa da imagem Audi retoma produção de carros em fábrica paranaense Imagem ilustrativa da imagem Audi retoma produção de carros em fábrica paranaense
|  Foto: Jonathan Campos/AEN
 

A reinauguração oficial ocorreu nesta quarta (29), mas os veículos começaram a ser montados há uma semana. Há 200 funcionários na unidade.

Foram investidos R$ 100 milhões para reativar a linha, que agora produz os utilitários esportivos Q3 e Q3 Sportback.

Os carros têm motor 2.0 turbo (231 cv) e tração nas quatro rodas. O câmbio é automático, com oito marchas. Os preços partem de R$ 316 mil.

A fábrica paranaense tem capacidade para produzir 4.000 carros por ano, em dois turnos. Por enquanto, todos as unidades serão voltadas para o mercado interno, e a marca espera montar 1.500 unidades até o fim deste ano.

Embora sejam considerados carros nacionais —a gravação do chassi é feita no país—, os componentes dos Q3 são importados. Em nota, a montadora explica que os modelos chegam ao Porto de Paranaguá divididos em conjuntos de peças e partes vindos da fábrica de Györ, na Hungria.

Esse sistema chama-se SKD (Semi Knock Down), que significa que os veículos vêm parcialmente montados pra o Brasil. O método reduz a alíquota do Imposto de Importação de 35% para 18%. As carrocerias já chegam pintadas.

A produção brasileira havia sido interrompida no fim de 2020. Na época, a Audi anunciou que só retomaria a montagem local de seus carros caso recebesse os créditos tributários retidos no governo.

O valor, contudo, ainda não foi pago. Estima-se que a montadora alemã tenha R$ 200 milhões a receber. "Temos de entender o momento em que o mundo vive, mas há uma indicação positiva de que teremos um dispositivo legal [para receber o valor retido]", diz Antonio Calcagnotto, diretor de assuntos institucionais e sustentabilidade da Audi do Brasil.

Esse é o terceiro ciclo de produção da Audi no Brasil. O primeiro ocorreu entre 1999 e 2006, com a montagem do hatch médio A3.

Anos depois, com o programa Inovar-Auto, a montadora montou o A3 Sedan em São José dos Pinhais. Esse período durou de 2015 a 2020 e incluiu a montagem da geração passada do Q3.

Embora os modelos feitos agora no Brasil sejam movidos a gasolina, a a marca confirmou também um investimento de R$ 20 milhões na instalação de pontos de recarga para carros elétricos.

A Audi comercializa no país modelos da linha e-Tron, em versões cupê e SUV. Todos são 100% movidos a eletricidade.

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.