Agência Estado
De Brasília
O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Renato Guerreiro, informou ontem que os conselheiros do órgão decidiram, em circuito deliberativo, suspender a partir desse sábado a gestão da Tele Brasil Centro Sul (TBS) na CRT, operadora de telefonia gaúcha. A TBS, empresa que controla a CRT, é controlada pela Telefônica Internacional, que detém 52,93% do capital votante. A decisão foi tomada, segundo Guerreiro, em virtude da demora nas negociações dos controladores da CRT com a Tele Centro Sul, sócia minoritária e candidata à compra da empresa.
Guerreiro disse que, após cobrar esclarecimentos da CRT sobre o que aconteceria a partir de sábado, recebeu a visita do presidente da Telefônica no Brasil, Fernando Xavier, na qual este informou que seriam necessárias negociações entre vendedor e comprador. Xavier teria dito que havia diferença entre o preço reivindicado pelo vendedor e a oferta feita ontem pela Tele Centro Sul.
O Ato 6196 assinado pela Anatel determina ainda que os sócios minoritários da CRT deverão adotar, a partir de sábado, ‘‘as medidas necessárias para assegurar a continuidade da prestação dos serviços concedidos, o curso regular dos negócios e o normal funcionamento da concessionária’’.
A Tele Brasil Centro-Sul (TBS), acionista majoritário, da qual a Telefônica é sócia majoritária, detém 85,19% do capital da CRT, sendo a Tele Centro Sul o maior acionista minoritário, com 8,01% do controle. O restante é dividido entre o governo do Rio Grande do Sul (4,10%), os empregados da empresa (2,08%) e outros sócios (0,62%).