|
  • Bitcoin 103.413
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Folha Confere

m de leitura Atualizado em 22/03/2021, 08:01

FOLHA CONFERE | Fique Esperto: devo ou não clicar em links recebidos por SMS?

Campanha apresenta informação contraditória ao enviar um endereço eletrônico por número desconhecido

PUBLICAÇÃO
sábado, 20 de março de 2021

Hiury Pereira
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Quando um número envia um link estranho para o seu celular, a primeira análise passa pela desconfiança: tem cara de golpe. Porém, não é o caso da mensagem de divulgação da campanha Fique Esperto. Enviada para vários números, a iniciativa foi conduzida em parceria do Governo com entidades importantes, como FEBRABAN, ANATEL, Abranet, entre outras. O objetivo é conscientizar a população sobre os riscos da Internet. A mensagem da campanha, enviada por um número desconhecido, indica: “#FiqueEsperto, tenha atenção redobrada com mensagens que contenham links de remetentes desconhecidos ou duvidosos. Saiba mais”. Em seguida, o link.

Especialista em segurança virtual, o professor Bruno Zarpelão, do Departamento de Computação da Universidade Estadual de Londrina (UEL), estranhou o formato de mensagem maliciosa que traz a divulgação da iniciativa. “Não sei se foi intencional ou um certo descuido. No mínimo irônico, ou até polêmico, uma campanha de conscientização sobre o cuidado de clicar em links, enviar um SMS com link para que as pessoas cliquem. Pode ter sido proposital, como forma de provocação, mas pode também ter sido um certo descuido”, expõe.

O site da campanha traz dicas relevantes sobre segurança nas redes. Além do cuidado com links e endereços eletrônicos, o Fique Esperto apresenta dicas para criação de senhas bancárias, autenticação de contas e proteção de dados. O projeto também enviará, de forma mensal, mensagens de texto e e-mails sobre o assunto.

Zarpelão também recebeu o SMS. Porém, mesmo ciente da campanha, não abriu o link. “Não clico em links de SMS que não estou esperando ou não conheço a origem. Recomendo também que as pessoas não cliquem. Várias pessoas receberam a mensagem legítima da campanha Fique Esperto. A partir do momento que a campanha entra no conhecimento público, golpistas podem enviar mensagens com o mesmo texto e alterações bem pontuais. Em uma primeira olhada, você pode não perceber e clicar em um link malicioso. Não dá mais para ter certeza se todo SMS com esse texto é legítimo”, afirma.

DICAS DE SEGURANÇA

A solução para não cair em golpes virtuais passa pela desconfiança. Todo link deve ser visto como suspeito. O professor alerta até para mensagens recebidas por WhatsApp, enviadas por pessoas íntimas que não levantam qualquer receio. “Temos situações em que as contas de WhatsApp são sequestradas. Os golpistas usam essas contas para enganar conhecidos”, aponta. Situações em que a pessoa te manda links no contexto da conversa, de uma notícia, por exemplo, são mais seguras, segundo o especialista.

Quando o usuário clica no link e passa a desconfiar da tela aberta, o professor sugere que não se faça outra ação em consequência dessa nova aba. “Abriu uma página? Feche. Ofereceu a instalação de um software? Recuse. Pediu dados pessoais? Não digite de jeito nenhum”, alerta. No caso de uma instalação direta após clicar no link malicioso, a primeira proteção pode ser um software anti-vírus já instalado – tanto em computadores, quanto em celulares.

O aparelho ficou mais lento de forma repentina, abas e programas passaram a abrir sem o comando ou conhecidos informaram que receberam mensagens estranhas da sua conta? Cuidado, são alertas que indicam que você pode ter sido infectado por algum vírus virtual. “Normalmente, não é fácil remover os vírus instalados. Recomendo que, ao sinal de algum comportamento estranho, a pessoa procure um serviço especializado para que seja feita uma análise do aparelho eletrônico”, conclui Bruno Zarpelão.

Se você receber uma informação suspeita, não deixe de enviar para o Folha Confere por meio deste formulário (https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSd38WzlKEa0f0aAzzCO29kF22I7Ii6igmzsIK9I-2L7DCYpFw/viewform) ou utilizando a hashtag #FolhaConfere nas redes sociais.