Homenagem a José Carlos da Rocha


Numa cerimônia emocionante e repleta de relatos saudosos, a OAB-Londrina inaugurou na última sexta-feira a Biblioteca José Carlos da Rocha, na sede histórica da entidade, no edifício Tuparandi. A biblioteca é formada pelo acervo de Zeca Rocha, como é chamado até hoje pelos amigos. Ela fez a doação em vida à atual presidente da Subseção, Vânia Queiroz. “Quando recebi esse acervo fiz uma reflexão e conclui, sem dúvidas, que a advocacia poderia desfrutar de tanto conteúdo de uma forma ampla, em vez de represá-lo comigo”, disse a presidente.A cerimônia teve a presença de conselheiros da Subseção;  do vice-presidente e do Tesoureiro da Subseção, Mário Xavier e Fabiano Nakamoto, respectivamente; do vice- presidente da CAA-PR, Nelson Sahyun Junior; do conselheiro federal Artur Piancastelli; da presidente da 7ª Turma do TED, Caroline Thon; e dos familiares Kátia Costa (viúva), das filhas Luciana Musegante e Carol Menk; do genro Ricardo Musegante; representantes de comissões; entre outros amigos. Zeca Rocha foi presidente e conselheiro da Subseção-Londrina, conselheiro estadual e presidente da 7ª Turma do TED no período de 2007 a 2016.O espaço ocupado pela Biblioteca José Carlos da Rocha no edifício Tuparandi foi reformado e adequado pela CAA-PR. O local está aberto a todos os advogados e  aos acadêmicos   de Direito. As fotos são do evento . 


 

 

Homenagem a José Carlos da Rocha
Divulgação
 

A presidente e familiares no momento da inauguração da Biblioteca 



 

 

Homenagem a José Carlos da Rocha
Divulgação
 

Carol Menck, Luciana Musegante, Vânia Queiroz e Kátia Costa 


 

 

Homenagem a José Carlos da Rocha
Divulgação
 

Nelson Sahyun Junior e Artur Piancastelli 



Instituto Adama está com inscrições abertas

Depois de um ano, por conta da pandemia, o Instituto Adama, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, volta a abrir inscrições para a Escola Aprendiz. Os interessados têm até a próxima sexta-feira( 17 de setembro) para se cadastrarem para participar do processo seletivo. Os pré-requisitos são ter de 16 a 18 anos, estar cursando ou já ter concluído o Ensino Médio regular e com renda familiar que não ultrapasse um salário mínimo por membro da família. Com quase 20 anos de história, a Escola Aprendiz tem mais de 320 jovens inseridos no mercado de trabalho. Eles participaram do curso “Assistente Administrativo na Indústria”, ministrado anualmente com jornada de 12 meses. Por conta da pandemia, o Instituto Adama, ligado à Adama, empresa global do setor de agronegócios, teve que suspender as inscrições no ano passado.  Após um processo de adaptação, a organização conseguirá abrir vagas para que as novas turmas tenham início em março de 2022. “Estamos muito contentes por poder retomar esse projeto que ajuda e já ajudou tantos jovens. Tivemos que nos reinventar na forma como fazemos o processo seletivo para conseguirmos voltar com a Escola Aprendiz no ano que vem. Das quatro etapas, que antes eram todas presenciais, agora apenas uma terá que ser feita pessoalmente, que é a fase final, de entrevista”, afirma Denise Caldeirão, coordenadora do Instituto Adama. A partir de agora as fases de inscrições, prova de Conhecimentos Gerais, Português e Matemática e dinâmica de grupo serão virtuais. Neste ano, o Instituto passou a contar com o sistema de recrutamento que a Adama utiliza, o Guppy, que realiza o processo de forma online. Basta acessar o site https://adama.gupy.io/jobs/1168992 e se cadastrar para a vaga. “O ponto de atenção que pedimos é para a criação da senha, que, por questões de segurança da informação, deve conter seis caracteres, letras maiúsculas e minúsculas e pelo menos um caractere especial. Fazemos esse alerta, pois já apareceram pessoas com dificuldades de se cadastrarem justamente por não seguirem as regras para a criação de senha no site”, explica Denise Caldeirão. Todos os anos, o Instituto recebe cerca de 250 inscritos. Neste ano, Denise acredita que o número deve aumentar.  Muitos que antes não conseguiam se deslocar, principalmente por questões financeiras, agora poderão fazer o acesso de forma remota. “Esperamos mais pessoas neste ano e o que se mantém de forma presencial é a última etapa, ou seja, uma entrevista com o candidato e a família, no Instituto. A diferença é que agora haverá um agendamento mais espaçado e seguiremos todos os protocolos de segurança por conta da Covid-19”, completa. 



 

 


 

Integrada faz doação ao HCL

A Integrada Cooperativa Agroindustrial entregou cerca de 6 mil fraldas para adultos para o Hospital do Câncer de Londrina. O presidente da cooperativa, Jorge Hashimoto, fez o repasse do material. A ação de voluntariado é tradicional entre os cooperados e colaboradores da cooperativa, que há mais de 10 anos contribuem para garantir o atendimento dos pacientes do HCL. A coordenadora geral de captação de recursos e voluntariado do HCL, Iracema Fabian, ressaltou o engajamento e a parceria da Integrada. “Todos nos atendem de forma solidária e muito generosa. Dessa forma, garantimos uma parte importante da demanda do HCL”. O hospital atende mais de 40 mil pessoas, de 250 municípios brasileiros. Entre alimentos e itens para diversos fins, são necessários 80 litros de leite e 850 refeições por dia, cerca de 8 mil fraldas para adultos por mês, entre tantos outros. 

 

Homenagem a José Carlos da Rocha
Divulgação
 


As máximas do Barão de Itararé

O “gaúcho uruguaio”  Aparício Torelli, o notável pensador humorista Barão de Itararé, que nasceu na fronteira do Uruguai com o Brasil,  e que morreu em 1971, aos 76 anos, disse em suas máximas, o seguinte: 1 -  Com dois olhos, todos os  homens deveriam ver em dobro. 2 – Os bois e os frangos, quando no matadouro, concluem que associação protetora dos animais é conversa fiada. 3 - Não há café amargo, há café sem açucar. 4 – O homem que se vende sempre recebe mais do que vale...5 - Da vida só se leva a vida que se levou...    


O dia que O Globo contratou Aparício  

Vindo do Rio grande do Sul, o uruguaio de nascimento, Aparício Torelli, que falava português e espanhol fluentemente, veio para o Rio de Janeiro, aos seus 30 anos de idade. Queria ser repórter de jornal importante. Foi direto ao fundador do jornal O Globo, Irineu Marinho, e travou com ele o seguinte diálogo: O senhor quer ser nosso jornalista, então me diga o que sabe fazer, o que faria neste jornal? Ouviu a resposta de Torelli:  Sou capaz de fazer de tudo, de varrer a Redação até  dirigir o seu jornal. Irineu Marinho o contratou na hora.  


Célia Regina Assis Russo 

Leitores escreveram para a Coluna, lamentando também o falecimento de Célia Regina Assis Russo. Empresária que estava com 71 anos e era muito estimada em Londrina. Foi uma sempre otimista e notável empreendedora londrinense. 


Na propaganda

Ariadne Manella e o filho João   Vitor Vanzela Cordeiro, que aparece na propaganda da Sercomtel ao lado do tio ,   o ator Nelson  Freitas 

 

Homenagem a José Carlos da Rocha
Divulgação
 


Na Itália não há grandes redes farmacêuticas como no Brasil 

Foi que me disseram: na Itália não há grandes redes de farmácias como existem no Brasil. Tentei falar com o adido comercial italiano, em Brasília, mas não obtive sucesso. Desejava obter detalhes a respeito do comentário ouvido,  se a informação seria ou não confirmada.  Segundo ouvimos, os italianos parecem não gostar de redes grandes em seu comércio, porque as chamadas pequenas gerariam mais empregos, o que coloquei em dúvida. O nosso amigo Bruno Veronesi, vice-cônsul da Itália, em Londrina, sempre bem informado, talvez possa  ter mais informações a respeito.   

UP-DATE: obtive, mais ao final da tarde, direto da Itália, a informação de que há no país uma rede tipo da norte-americana “Walgreen´s”, que vende produtos de beleza, de higiene pessoal, para bebês, e etc., menos remédios. Remédios somente em farmácias, sempre pequenas u médias.     


   


A China proibirá supermercados  e shoppings em cidades menores 

O governo Comunista-Capitalista da China teria decidido proibir a abertura de grandes shoppigs e supermercados, em cidades consideradas menores naquele país. 

Isso, dizem por lá, para “prestigiar as pequenas empresas desses setores”. Mas qualquer cidade “pequena” chinesa, tem mais gente do que algumas  localidades capitais de alguns estados brasileiros.   


 

Nossos chocolates de cada dia 

A chamada “vassoura de bruxa”, provocada por um fungo, está atacando os cacaueiros da Bahia. Essa doença vem da Bolívia e apareceu aqui em regiões do Acre, no Brasil. A produção de cacau entre os baianos está de antena ligada. Sinal de alerta na Bahia, portanto. O nosso chocolate de cada dia não pode correr risco. Entre cada 10 brasileiros  7 consumiram chocolates na infância e juventude. Cinco delas, até hoje, não rejeitam brigadeiros, bolos de chocolate, sorvetes e etc.  E salve o nosso chocolate, nossos doces, que de salgado já chega o custo de vida em geral neste Brasil varonil.   


Quais as profissões do futuro? 

Todas que fizeram parte dos setores da vida que digitalizaram. Assunto que os diretores professores de escolas e colégios deveriam conversaram seus alunos, nas boas vindas a todos eles..., agora de volta da pandemia´´. ouvido de empresário londrinense, em mesa no almoço do Dá Licença, de Ênio Junior e Ênio Sehn.  

 

***


No setor do empreendedorismo, os jovens que se formam em cursos superiores, precisam focar sempre em abrir seu próprio negócio. Por pequeno que seja, e, se possível,  sem ter sócio, mesmo que seja teu amigo. Melhor mantê-lo como amigo. 


 *** 


Guergoletto  pede elenco de qualidade e mudança na gestão do Londrina  

O ex-dirigente do Londrina Esporte Clube Célio Guergoletto enviou para a Coluna   um comentário sobre a atual situação do time. Ele diz: “A gestora do Londrina,  SM Sports, num primeiro momento foi muito importante na vida do time, e isso a cidade e o torcedor têm de reconhecer.   Lamentavelmente, há uns três anos a gestora vem esquecendo o time e investindo o pouco que vem de recursos no Centro de Treinamento, que consome grande parte dos recursos oriundo da televisão e patrocinadores, com isso pouco sobra para investir no elenco. No ano passado, o LEC subiu para serie B, fruto de muita sorte nas combinações de resultados, pois a qualidade do elenco era fraquíssima. Este ano, na série B, já estamos praticamente rebaixados, somente um milagre poderá tirar o time da série C novamente, não porque não tem tempo, tempo tem, mas a qualidade do elenco deixa muito a desejar, e com isso rodada a rodada o time vai se afundando mais. Sei da importância de se ter um bom CT, mas apenas Centro de Treinamento não ganha jogo, é preciso jogadores com qualidade para enfrentar essa dificílima série B. Me parece que a SM não tem mais interesse em tocar o futebol, a saída seria juntar um segundo parceiro para fortalecer a SM ou então de comum acordo deixar a responsabilidade para o Londrina E.C tocar o futebol. Do jeito que está, a cidade que empresta o nome ao Tubarão, está passando vergonha juntamente com sua torcida. 


  

*******

A opinião do colunista não é, necessariamente, a opinião da Folha de Londrina 



Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo