Atividades com a filha de 2 anos


Desde o início do isolamento social, Letícia Zanfrilli vem fazendo uma série de atividades com a filha Lara (foto), de 2 anos, e divulgando nas redes sociais. Muitas pessoas têm acompanhado nas redes sociais e elogiado os vídeos e as fotos que inspiram as mamães a fazerem com seus filhos também! "As atividades variam de pintura com tinta guache, culinária, psicomotricidade e outras que garantem diversão e o passatempo aqui em casa!", diz a mãe. O Instagram dela @ternurinhaoficial tem várias publicações divertidas que podem inspirar muitas famílias. 

Atividades com a filha de 2 anos
Divulgação
 



Armas só com os militares e policiais muito bem treinados 

 Leio na FOLHA, ontem, que um garoto de 9 anos matou a irmã de 7. E coloco a mão na cabeça, pensando nos pais, na família toda e no drama que será para eles. Onde estaria essa arma, de quem seria, e como o garoto aprendeu a atirar. Ou se foi por acaso ou não. A verdade é uma só: ter arma de fogo em casa é correr riscos de acidente e até morte todos os dias. Ainda no domingo, em entrevista à Rede CNN, o ex-deputado, governador e ex-candidato à presidência, Ciro Gomes, disse que não está na cabeça do brasileiro ter revólver em casa para se defender. Sabe que o pior poderá ocorrer, como o lamentável caso desse garoto que assassinou a própria irmã. É a típica triste situação em que a família quase morre junto. Arma em casa, provam os fatos lamentáveis, que só para os policiais, para os militares com todo o cuidado possível e técnica que aprendem. Assim mesmo, policiais também erram. Essa história de ter armas em casa se repete há anos, sempre com final triste, ultra infeliz. Melhor deixá-las com as autoridades devidamente competentes como a Polícia e as Forças Armadas, de acordo com a Constituição da República Federativa do Brasil. De tristeza bastam as dívidas, a falta de empregos e as doenças terríveis, como o câncer, o enfarte violento e esta desgraça mortífera chamada coronavírus, que está matando impiedosamente milhares de brasileiros e outros irmãos de nosso planeta, destruindo o futuro de jovens e a memória e a história que os mais velhos teriam para revelar e contribuir para uma vida melhor a todos desta Terra querida!  






Lives do Sinpro

Atividades com a filha de 2 anos
Divulgação
 

O Sinpro Londrina tem realizado lives abordando os mais variados assuntos, de direitos trabalhistas, a dicas de filmes e de atividades físicas. Uma das transmissões com grande audiência são as lives de culinária com o diretor Ricardo Prochet (foto). Ele fez um curso com o famoso chef italiano Dario Ceccini. Vale a pena acompanhar as lives pelas redes sociais do sindicato.  

  

***

Donald Tump demonstrou que cuida mesmo é do seu povo, do seu país, ao proibir  pessoas que estejam no Brasil, de viajar para os Estados Unidos. Deixa com isso o Brasil cada vez mais dependente de exportações para os chineses e com isso os preços da soja e da carne bovina. Se Trump fechou os EUA para os brasileiros, comprou briga com a Disney e com o governo da Florida e também da Califórnia. E com isso vai prejudicar muito as agências de turismo e viagens de todos os estados brasileiros. Prejudicando Londrina e outras cidades paranaenses como Curitiba, Maringá, Cascavel, Foz, etc, cujos escritórios de turismo tinham muito bom movimento e geravam vários empregos. Trump, com a medida, revela não concordar com a política de saúde o combate ao coronavírus do presidente Bolsonaro.               

 

  

  

Quatro gerações da família 

Atividades com a filha de 2 anos
Rubem Vidal - Divulgação
 

No Dia das Mães houve a reunião de quatro gerações da família Alegre: Giovanna com a filha Mia, a matriarca Lily Alegre com os netos Isabela e João; em pé a filha de Lily, Elvira Alegre. Um momento de muita alegria.

  

Máscaras solidárias

Atividades com a filha de 2 anos
Fabio Luporini - Divulgação
 


O Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Londrina fez uma importante doação a três instituições que atendem idosos na cidade. São elas: Asilo São Vicente de Paulo, Lar dass Vovós e Lar Maria Tereza. No total foram doadas 700 máscaras caseiras para proteção contra o coronavírus, confeccionadas por professoras aposentadas voluntárias do departamento e voluntárias. Elas foram distribuídas em parceria com o projeto de extensão "UEL pela vida contra o coronavírus". À frente das pesquisas e das doações, a professora doutora Renata Perfeito Ribeiro. Na foto de Fábio Luporini, ela está ladeada pelas doutorandas Aryane Apolinario Bieniek e Helenize Ferreira Lima Leachi, respectivamente. A doação é fruto do trabalho das duas, que estavam pesquisando equipamentos de proteção individual para trabalhadores de centros cirúrgicos e acabaram verificando a eficiência de tecidos na confecção de máscaras caseiras. Elas descobriram que o algodão 100% e a sarja são os mais recomendados. Já tricoline, TNT, malha e pano de limpeza não têm proteção garantida, por conta o espaçamento entre as tramas. Então, elas uniram forças e confeccionaram as máscaras de algodão. 

  

  

Bravissimi 

Atividades com a filha de 2 anos
Divulgação
 


O projeto “Os Bravissimi na Terra Roxa” convida todos os descendentes de italianos de Londrina a revisitarem seus arquivos familiares e informarem sobre objetos ,fotos e documentos que possam ajudar a preservar esta memória tão importante para o desenvolvimento da cidade e região. O acervo poderá fazer parte do Museu Histórico de Londrina. Será realizada, no início de 2021 , uma exposição no museu que depois se dividirá para  ser mostrada em outros locais da cidade. O  projeto prevê um catálogo bilíngue que deverá ser distribuído no Brasil e na Itália. O material pode ser doado ou emprestado. Devido à pandemia, o calendário da exposição foi reajustado, mas os organizadores continuam contando com a colaboração de todos para a realização desta mostra temática. O contato pode ser feito pelo telefone (43)999577031 e pelo e-mail [email protected] A inciativa tem patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura e apoio do Vice-Consulado Italiano, da Universidade Estadual de Londrina, do Museu Histórico de Londrina e do Espaço Cultural Villa Rica. A Associação I Bravissimi, fundada pelo saudoso Monsenhor Vitor Gropelli existe há 23 anos e promove vários eventos culturais em Londrina e região. Na foto, a presidente da entidade, a produtora cultural e musicista Hylea Ferraz 

  

  

*** 

  

O presidente Jair Bolsonaro, em quem votei, é a favor de que as pessoas possam comprar e tenham suas armas, para se defender de possível ataque de adversários da democracia e também de invasores de propriedades privadas, como imóveis nas cidades e invasões de sítios e fazendas na zona rural, o que ocorreu em administrações dos últimos anos. Posso não concordar com ele, de armar a todos, mas ele, como chefe da nação, tem o direito de revelar o que pensa a respeito e tomar decisões que o cargo possa lhe conferir. Para isso, há como sistema mediador, o Poder Legislativo, para pelo menos debater o assunto.  

  

***

O presidente Jair Bolsonaro deixou claro em sua agora famosa reunião interministerial, repleta de palavras e expressões “censuradas” em algumas emissoras de televisão: “Vocês, ministros, precisam abrir mais a boca , falar mais sobre o que estão fazendo, o que vão fazer.” Ele cobrou mais informações de todos, dizendo que não pode contar muito com a Abin, com o Sebin, e os órgãos de informações das Forças Armadas. No domingo, entre frases populares, dos seus admiradores, em frente ao Palácio Alvorada, o residencial, uma afirmava: “Não podem deixar tudo explodir no  presidente”.  O ministro Celo Mello, do Supremo, que está de saída, aposentado em outubro, marcou seu nome na história do STF, ao decidir divulgar o que houve na reunião interministerial, com tudo que foi dito, até contra eles todos do Supremo. 


***

Deu no que deu e dará futuramente. Celso Mello disse que cumpriu a “Constituição, que é a locomotiva do país”. Só é o verdadeiro agente público, aquele que serve a Nação com todo o conhecimento técnico, com eficiência,  a cultura e a experiencia que tem de vida em todos os sentidos. 


***

 

“Se o perigo mora ao lado, o remédio também mora, e o nome dele é Constituição”, declarou o ex-ministro Ayres Primo, que foi presidente do Supremo Tribunal Federal. É a nossa Bíblia Jurídica, afirmou. Quanto à falta de informações, Bolsonaro deve, como chefe supremo da Nação, trocar o pessoal que não funciona. Faça os atuais trabalharem mais. Pelo que o presidente da República  reclamou com ênfase, alto e bom som, de todos, este pessoal não está merecendo receber os vencimentos que ganham par ocupar tais cargos. Vamos dar um exemplo: o caso do navio estrangeiro que derramou óleo e petróleo em litoral de vários estados brasileiros, que até hoje os órgãos de informações não descobriram qual foi, de onde é o navio, quem são os proprietários, e etc. Nada. Ficou o dito pelo não dito. Troque os caras, presidente, pois deve haver gente competente, em ouros estados. O Brasil não é só Rio, São Paulo, Brasília, Minas e etc. Vamos lembrar o velho jornalista nipo-brasileiro Hideo Inaga, da revista Visão: “Quem tem mais informação, sabe mais, e pode mais!” 





Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo