Um suspiro incompleto


O maior problema jurídico é o excesso de ativismo do Judiciário e do Executivo assegurados pela inação da Procuradoria-Geral da República. Tivemos agora, depois de tanta subserviência, alguns sinais de ação da PGR, uma delas, relevantíssima, contra a mexida de Bolsonaro no marco regulatório da internet, contra o qual o presidente do Senado se manifestara. O fato em si não devia surpreender não fosse o comportamento até aqui omissivo da Procuradoria. É um suspiro, um hiato de descompressão, mas não garantia de que as coisas se ajustem. Não há qualquer garantia de um ordenamento satisfatório depois do trauma de 7 de Setembro, expressão de golpe em preparo ou encenação de forte poder intimidativo. 


O radicalismo é tal que as manifestações antibolsonaristas no domingo fracassaram por ter tentado ser a terceira via, isso é, contra Lula e Bolsonaro, o que demonstrou a que ponto chegou a polarização. Se tivesse êxito seria mais um suspiro. 


Vacina 

Uma pesquisa mostrou que 63% dos hospitalizados em Curitiba não tinham se vacinado, prova de que só há um caminho para enfrentar a pandemia. Seguem porém os atritos com o Ministério da Saúda e Queiroga acusa governadores de não se ajustarem ao plano nacional, como se vê nos casos de Rio e São Paulo. A pandemia predominou como prioridade, o que levou a queda de 27 milhões de procedimentos médicos em 2020 e instalou-se a terapia on-line, na qual o número de psicólogos na área saltou 450%.    


No Paraná tivemos 1.924 infecções e 44 óbitos. Fiscalização na capital aplicou R$ 1,4 milhão em multas e fechou 15 pontos.

 

Emprego 

Havia nesses dias 3.344 vagas de emprego com carteira assinada nos órgãos do governo, mas a previsão do tempo tinha tudo de negativa com tempestades a partir de hoje com ventos de até 80 km/horários. Já a rotina ambiental de Itaipu celebrava plantio de 24 milhões de árvores nos corredores ecológicos. 


Centro-esquerda 

Conscientes do fracasso do fim de semana, os chamados partidos de centro-esquerda programaram para quarta-feita um encontro com a finalidade específica de atrair o PT para novas manifestações. Mais populistas do que esquerdistas, entendem que a centro-esquerda sem os lulistas não ganha corpo. Pretendem fechar uma aliança com dez partidos, mas as rusgas entre eles são visíveis como o fato de mostrar que havia mais gente nos lugares em que Fernando Haddad falava. Roberto Freire, do  Cidadania, acha que nos próximos atos os petistas estarão presentes, até por soberba ao demonstrarem que reúnem mais gente, O fato é que os atos contra Bolsonaro reúnem esquerda e direita, rachadas, e sem fazer frente ao agitado 7 de Setembro. 


Irmão ideológico 

Na luta de box entre Evander Holyfield e o brasileiro Vitor Belfort estava presente Donald Trump, que após o embate falou bem do presidente brasileiro Jair e do seu filho Eduardo Bolsonaro. "Eu adoro o presidente do Brasil". É o original falando da cópia. 


PIB na passeata 

Pode não ter sido o que pensavam os organizadores da manifestação antibolsonarista, mas nomes de expressão do PIB estiveram na Paulista, como Horácio Lafer Oliva, Fábio Barbosa e Antônio Moreira Salles. Eles veem o presidente não apenas como ameaça grave à democracia, mas ruim, péssimo, para os negócios. 


Folclore 

Investigados na CPI da Covid, que não têm cargo na Saúde, e que aparecem no ranking de idas à pasta: José Ricardo Santana, 20 vezes, Ricardo Barros, 11, Túlio Belchior, 7, Francisco Maximiano e Nise Yamaguchi, 6, Emanuela Medrades, 5, Carlos Wizard, Emanuel Catori e Osmar Terra, 3 vezes, Luiz Paulo Dominghetti, 2 vezes, e com apenas uma vez Ernesto Araújo, Paulo Zanotto, Cristiano Carvalho, Hélcio de Almeida e Luciano Hang. A listagem parece uma tentativa de reprodução das que indicavam os cassados nos anos sessenta e que testavam a força do regime diante do público. 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo