|
  • Bitcoin 124.000
  • Dólar 5,0950
  • Euro 5,2413
Londrina

Luiz Geraldo Mazza

m de leitura Atualizado em 12/03/2022, 03:39

Sanções, beligerância sutil

PUBLICAÇÃO
sábado, 12 de março de 2022

Luiz Geraldo Mazza
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O uso de sanções econômicas e comerciais em lugar do confronto aberto é a nova diplomacia, enriquecida num papo de Biden já prevendo estouro da Bolsa russa, o seu colapso. Nem tudo o que se diz nessa hora tem a força imaginada como o voluntário atirador de elite canadense no exército ucraniano ou a legião de mercenários convocados por Putin no Oriente Médio, prova de que a luta no chão exige especialistas. Há sinais fortes de que a resistência surpreende, mas o trololó continua em meio ao avanço russo e um exercício de 30 mil militares da Otan em manobra na Noruega perto da fronteira dos invasores. No meio de tudo isso, uma ameaça de greve caminhoneira e bloqueio de cegonheiras para imobilizar montadoras, o que tem mais jeito de guerra do que sanção. 

Lula vem aí 

Anuncia-se que Lula vem aí para filiar Requião e entronizá-lo como candidato do PT a governador do Paraná. Isso faz mais do que cócegas no domínio pleno de Ratinho Junior, cujo PSD evita o ex-presidente no primeiro turno em favor do gaúcho Eduardo Leite. Como se vê, há muita confusão ainda, mas a candidatura de Requião dá uma pequena alterada no quadro ante sua notória decadência e busca de recuperação. Kassab resiste apoiar Lula no primeiro turno, dá dribles nos que o cercam e vê no governador gaúcho alguém capaz de surpreender. 

Front 

Entre quarta e quinta tivemos 559 óbitos e 53.796 infecções em 24 horas. A supressão das máscaras virou polêmica e pesquisadores apresentam riscos e pedem máscaras nas escolas e manutenção em aeroportos e aeronaves. Curitiba mantém a bandeira amarela e sustenta a máscara por uma semana. Isso tudo se dá na data do segundo aniversário da pandemia. Outro debate sequencial é das cautelas com a reabertura das escolas. Em São Paulo, colégios divergem sobre o fim da proteção em local aberto. Novamente em cena a falta de articulação em área infensa à precipitação. Preocupam ainda maiores médias móveis de casos e a compensação é o menor número de mortes.  

Temporais 

Há previsão de temporais em todo o Paraná e está programada em várias cidades no sábado campanha contra o mosquito da dengue, que cresce com o aguaceiro. Por sinal que as estradas para as praias estão parcialmente interditadas. E há o receio de que a poeira do Saara, apelidada de Godzilla, acabe chegando ao Brasil. Fenômeno lembra episódio de 2020, mas deve ter proporções menores. 

Inflação 

Com a guerra e a conjuntura, a inflação segue firme: em fevereiro foi de 1,01%, maior referência em sete anos. Por sinal que o reajuste dos derivados do petróleo tem tudo para fixar ciclo vicioso de mais inflação, juros e dívida pública. Se o aumento acelerar a Selic, haveria endividamento e mexerá no dólar a pressionar novamente a inflação. O ministro Paulo Guedes, da Economia, admite subsídio se a guerra se estender por mais dois meses. O Tesouro bancaria os combustíveis. Cada circunstância tem o liberal adequado.

Varejo 

Londrina festejou com razão a primeira posição do estado no crescimento do varejo. No Brasil ele teve alta de 0,8%, conforme o IBGE. A alta superou todas as previsões, mas não houve recuperação da pré-pandemia. 

Folclore  

A Petrobras, que foi tão usada pelos políticos na Lava Jato, está virando a Geni da música popular, ainda mais com o mega aumento. O presidente falou inclusive que daria um murro na mesa da estatal se isso resolvesse. 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.